El Salvador não exige prova de teste PCR negativo para ingressar no país desde novembro de 2021.

O autocarro partiu com mais de uma hora de atraso em relação à hora que estava prevista para a partida, mas é uma situação habitual neste continente. A próxima paragem seria a fronteira da Guatemala.

Quase a sair do autocarro “Tica Bus” para me deslocar à fronteira, aproxima-se de mim um também viajante que me avisa: “tem cuidado com o telemóvel e com o passaporte, guarda-os bem, caso contrário podes ser assaltada”. Dito isto, foi como se um megafone gritasse aos meus ouvidos. É difícil permanecermos sempre em estado de alerta e a mente tende em relaxar e pensar que está tudo bem. Segui o homem até ao guiché da imigração, carimbei o passaporte e regressei ao meu lugar no autocarro.

A próxima fronteira estava a cerca de cem metros de distância e o motorista informa-nos que não teríamos de sair do autocarro pois os agentes de imigração viriam ter connosco, uma situação rara e que nos deixa ainda mais em alerta. Outro facto curioso é que quando se entra em El Salvador ninguém carimba o nosso passaporte.

Já em El Salvador, os dias corriam de forma normal. Fiz uma free walking tour ao centro de El Salvador, vi do mais tradicional como senhoras a usarem lenço na cabeça como prática bimilenar assumida pelas mulheres cristãs, bem como jovens de cabelo pintado de muitas cores e de mão dada com o seu par do mesmo sexo. Fiquei arrebatada: como é que num único mercado de rua e num país com tantos problemas a nível de segurança, o preconceito estava guardado na gaveta e conviviam todos com isso de uma forma natural, que é, aliás.

Esta é uma imagem quase tão comum como a pupusa - as já conhecidas tortilhas recheadas, também existiam na Guatemala como papusas e passaram a ser pupusas em El Salvador, coisas da linguística. Outra curiosidade que descobri: a 7 de setembro de 2021, El Salvador tornou-se o primeiro país a adotar a bitcoin como moeda legal.

A terceira dose da vacina e um teste PCR duvidoso

Foi nessa tour que, em conversa com uma viajante, soube que El Salvador está a ministrar a terceira dose da vacina contra a COVID-19. A viajante comentou que bastava ir à página do Governo e fazer o agendamento, que, no meu caso, foi para o dia seguinte às 8h. E assim foi! Rápido e organizado. Neste momento tenho já as três doses da vacina. Tomei as duas primeiras doses da vacina na Grécia. Em El Salvador pediram-me apenas o documento do agendamento, com as datas das duas doses anteriores para poderem atualizar no sistema.

Para continuar este meu caminho de percorrer os 196 países do mundo, o meu próximo país será a Nicarágua. E, para conseguir passar a fronteira terrestre, deparei-me com alguns percalços. Para chegar à Nicarágua, tenho que passar pelas Honduras. El Salvador, Honduras e Nicarágua uniram-se neste processo e dificultaram a viagem ao tradicional backpacker, eu incluída.

Com sete dias de antecedência, temos que realizar um teste PCR e enviá-lo para os dois últimos governos mencionados, preencher uma infinidade de formulários e esperar pelo resultado do teste PCR para poder viajar. Uns quatro dias antes de levar a terceira dose da vacina, realizei um teste PCR para dar início ao processo.

Nunca tive quaisquer sintomas, sempre cumpri com as medidas de higiene, segurança e distanciamento social. Se o resultado do teste fosse efetivamente positivo, tínhamos um problema grave porque ninguém me comunicou esse resultado a tempo útil.

O resultado do teste só me chegou quatro dias depois de o ter realizado e, quando verifiquei o teste, reparei que o meu nome não estava escrito de forma correta.

Quando recebi o resultado do teste, já tinha levado a terceira dose da vacina e nada podia fazer para alterar esta situação. Mudei-me para um quarto individual, esperei os efeitos que costumo ter à toma da vacina e teria que ter forças para iniciar novamente todo o processo para sair de El Salvador.

Planeei estar em El Salvador durante apenas uma semana. Já me encontro aqui há duas semanas e meia e sem vislumbrar qualquer data de previsão para a saída deste país.

No vídeo abaixo, explico melhor como aconteceu esta situação.

Continuem a seguir as minhas viagens através do Instagram @os51países. Podem também acompanhar os meus vídeos no YouTube.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.