Foi a 14 de dezembro de 2001 que o Alto Douro Vinhateiro (ADV) foi inscrito na lista do Património Mundial da Humanidade, na categoria de Paisagem Cultural Evolutiva e Viva.

“Vila Real é porta do Douro, entrada privilegiada para esta região classificada, e é para nós uma honra, um gosto, comemorar aquilo que é uma data marcante e simbólica para toda a região” afirmou à agência Lusa o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos.

O autarca, que viu recentemente o processo de fabrico do barro negro de Bisalhães distinguido pela Unesco, referiu que a classificação do Douro, conquistada há 15 anos, “permitiu avançar na transformação do território".

“Ainda não temos tudo o que queríamos, é verdade que esta classificação também implicou responsabilidades, nomeadamente na capacidade de mexer no território em termos urbanísticos, de construção e de cuidado com o território, mas julgo que é inegável que foi um fator positivo”, frisou.

Para Rui Santos, “hoje o Douro é claramente uma marca em expansão e em afirmação em termos mundiais”.

A sessão evocativa dos 15 anos do Património Mundial está a ser organizada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), através da Missão Douro, em parceria com a Câmara de Vila Real, a Comunidade Intermunicipal do Douro e a Liga dos Amigos do Alto Douro Vinhateiro.

A organização disse que assinalar estes 15 anos da classificação da Unesco “tem uma importância acrescida na região pelo reconhecimento de um território que tem investido esforços em conciliar a autenticidade do bem com um crescimento sustentado e coerente”.

As comemorações são, assim, também uma “oportunidade para refletir sobre novas dinâmicas para o território e de que modo se pretende que o ADV continue a potenciar o selo de Património Mundial”.

Participam nesta sessão evocativa o reitor da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Fontainhas Fernandes, o professor universitário Miguel Cadilhe e o embaixador da Comissão Nacional da Unesco, Jorge Lobo de Mesquita.

A cerimónia conta ainda com a participação dos ministros do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, e da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes.

Na festa dos 15 anos contempla também a inauguração do marco “Feitoria da Alma” e da avenida da Unesco.

O ADV corresponde à área mais representativa e melhor conservada da Região Demarcada do Douro (RDD), que é a mais antiga região vitícola demarcada e regulamentada do mundo, com delimitações desde 1756.

A área classificada compreende 24.600 hectares, cerca de um décimo do total da RDD, tendo a sua zona tampão uma área de 225.400 hectares, e abrange 13 municípios.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.