O pedido da companhia americana representa uma compra de 35,38 mil milhões de dólares no preço de catálogo das aeronaves, mas, geralmente, as empresas pagam menos do que o valor teórico.

Os executivos da United descreveram o pedido - o maior da história da empresa - como um marco que simboliza os avanços na perspetiva do transporte aéreo com a distribuição de vacinas anticovid.

Apesar do otimismo, a United Airlines e outras companhias aéreas se encaminham novamente para resultados negativos no segundo trimestre, reflexo da continuidade da crise no setor de viagens.

O volume de viagens de negócios da United permanece em queda de 60% e a redução nos voos internacionais é ainda mais expressiva, afirmou o diretor-executivo da empresa, Scott Kirby. "Não estamos 100% de volta", disse Kirby em uma teleconferência com jornalistas.

Os representantes da United não foram questionados sobre a variante Delta, que está a propagar-se em várias partes do mundo, mas o anúncio ilustra a grande confiança nas perspetivas do setor, mesmo se a pandemia continuar

Aposta nos voos domésticos

A grande fatia da compra será de 150 exemplares do Boeing 737 MAX 10, que continua a ser objeto de testes em um processo seguido de perto pelas autoridades americanas.

O anúncio é um sucesso para este avião da Boeing, que foi obrigado a permanecer em terra por 20 meses após dois acidentes fatais.

O restante do pedido inclui 50 unidades do Boeing 737 MAX 8 e 70 Airbus 70 A321neo, o grande sucesso de vendas da fabricante europeia no segmento de aviões de apenas um corredor com mais de 200 assentos.

Com este pedido, a empresa americana aumenta a lista de aquisições a mais de 500 aeronaves: 40 serão entregues em 2022, 138 em 2023 e mais de 350 em 2024 e nos anos seguintes.

Os três modelos são aeronaves estreitas, o que as tornam adequadas para viagens domésticas e de curta distância, setor que foi um dos primeiros a retomar a recuperação na pandemia.

"Estamos realmente honrados com a confiança da United Airlines na Boeing e nos aviões que projetamos e construímos todos os dias", declarou o presidente e diretor-executivo da Boeing Commercial Airplanes, Stan Deal.

"Um pedido tão importante de uma grande companhia como a United destaca que o A321neo oferece capacidades inigualáveis, eficiência operacional e facilidade de uso para o passageiro", afirmou o diretor comercial da Airbus, Christian Scherer.

Tanto o modelo da Airbus como os novos 737 MAX são versões maiores do mesmo avião, o que permitiria aumentar a capacidade em Nova Iorque, São Francisco e outros mercados onde ampliar o número de voos é difícil, ou impossível, informaram fontes da United.

A recuperação dos voos de negócios "deve acelerar no outono, com o retorno das crianças à escola", afirmou Kirby.

Os voos internacionais permanecem em queda, mas, em 2022, "podemos ver recordes de voos transatlânticos", prevê.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.