Num esforço para combater o turismo excessivo, a cidade italiana de Veneza implementou novas políticas que deverão entrar em vigor já no próximo verão. Desta forma, os turistas que desejarem visitar Veneza terão que reservar com antecedência mediante o pagamento de uma taxa.

A entrada pode custar entre três e 10 euros, dependendo da temporada, do dia e do número de pessoas esperadas. Os visitantes podem ter que reservar com bastante antecedência, se planearem visitar Veneza durante a temporada alta, já que a cidade irá implementar limites diários de visitantes.

No entanto, os turistas que se hospedarem em hotéis locais estarão isentos da taxa de entrada, uma vez que os hóspedes que pernoitam na cidade já pagam um imposto noturno. Os residentes, familiares de residentes e crianças até aos seis anos também estarão isentos do pagamento.

A discussão do pacote de restrições ao turismo começou em 2019, mas a aprovação foi atrasada, em parte, devido à pandemia COVID-19.

Itália proíbe navios de cruzeiro na lagoa de Veneza após ameaça da UNESCO
Itália proíbe navios de cruzeiro na lagoa de Veneza após ameaça da UNESCO
Ver artigo

Antes da pandemia, Veneza atraía até 80.000 turistas por dia, aproximadamente 25 milhões por ano. O forte congestionamento da cidade levou a que o Comité do Património Mundial da UNESCO considerasse adicionar Veneza à sua lista de Património da Humanidade em Risco, o que levou Itália a proibir grandes navios de cruzeiro de entrar nas águas de Veneza desde o início deste mês.

A medida levou a que Comité do Património Mundial da UNESCO voltasse atrás e não incluísse a cidade na lista de Património da Humanidade em Risco.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.