O turismo internacional dá sinais de recuperar a bom ritmo, com os números do primeiro trimestre de 2023 a mostrarem que os viajantes foram o dobro dos registados há um ano, indicou a Organização Mundial do Turismo (OMT).

Segundo o barómetro OMT do turismo mundial, as chegadas internacionais alcançaram nos primeiros três meses 80% dos níveis anteriores à pandemia de covid-19.

As estimativas indicam que nesses meses, 235 milhões de turistas fizeram viagens internacionais, mais do dobro do que no mesmo período do ano anterior.

De acordo com os dados revistos de 2022, no ano passado houve mais de 960 milhões de deslocações internacionais de turistas, o equivalente a dois terços (66%) dos números pré-pandemia.

Em relação à recuperação no primeiro trimestre de 2023, o Médio Oriente registou os melhores resultados já que foi a única região que superou as chegadas de 2019 (mais 15%) e a primeira a chegar aos números anteriores à pandemia num trimestre completo.

A Europa alcançou 90% dos níveis anteriores à pandemia graças à intensa procura intra-regional.

África e o continente americano chegaram a 88% e a 85%, respetivamente, dos níveis de 2019.

A região da Ásia e Pacífico alcançou 54% dos níveis pré-pandémicos, mas prevê-se que esta tendência de subida acelere agora que a maioria dos destinos, particularmente a China, abriram as suas fronteiras a viagens não essenciais.

Os dados da OMT também analisam a recuperação por sub-região e referem que a Europa mediterrânica e do Sul e o Norte de África também voltaram aos níveis pré-pandemia no primeiro trimestre de 2023, enquanto a Europa Ocidental e do Norte, a América Central e as Caraíbas estão muito perto de alcançar esses níveis.

"Este início de ano voltou a evidenciar a extraordinária capacidade de recuperação do turismo. Em muitos lugares, estamos próximos ou mesmo acima dos níveis de chegadas que existiam antes da pandemia", afirmou Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT.

"No entanto, devemos estar atentos aos desafios que vão desde a insegurança geopolítica, à escassez de pessoal e à possível incidência da crise do custo de vida no turismo e temos de garantir que o regresso do turismo cumpra as suas responsabilidades como solução para a emergência climática e como motor de um desenvolvimento inclusivo", salientou.

De acordo com a OMT, as receitas do turismo internacional voltaram a superar a barreira de um bilião de dólares em 2022, com um crescimento de 50% em termos reais na comparação com 2021.

Os gastos dos visitantes internacionais atingiram 64% dos níveis pré-pandémicos (menos 36% em relação a 2019). Por regiões, a Europa obteve os melhores resultados em 2022, com quase 550.000 milhões de dólares em receitas provenientes do turismo (520.000 milhões de euros), o que representa 87% dos números registados antes da pandemia.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.