A região do Centro de Portugal foi a que mais cresceu em todo o país na procura turística durante o mês de outubro, de acordo com os resultados preliminares da atividade turística, publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Um resultado extremamente positivo, tendo em conta que este foi o mês em que aconteceram os incêndios que dizimaram muitos concelhos da região. Sinal de que os visitantes, portugueses ou estrangeiros, continuam a apaixonar-se pela região, apesar da tragédia que a afetou.

O INE mostra que, em outubro, houve um enorme aumento de +20,4% no total de dormidas em hotelaria, em comparação com outubro de 2016. Em comparação, no mesmo período em análise, o crescimento de dormidas no país foi de 6,35% - ou seja, a procura do Centro de Portugal cresceu quase quatro vezes mais que a média nacional. A região que mais progrediu, depois do Centro de Portugal, foi o Alentejo (+16,3%). O crescimento foi bastante menos notório nas restantes regiões: 8% nos Açores, 6,4% no Porto e Norte; 5,4% em Lisboa; e 0,04% na Madeira.

Em valores absolutos, contabilizaram-se 549.175 dormidas em julho no Centro de Portugal, mais 93,1 mil do que no mesmo mês do ano anterior, que tinha registado 456.025 dormidas. Uma diferença que ilustra a enorme progressão que a região está a sentir! Se olharmos ainda mais para trás, vemos que em outubro de 2015 as dormidas tinham totalizado 413.198 e que, no mesmo mês de 2014, foram de 380.682.

Este enorme crescimento explica-se, em grande parte, pelo aumento da procura por parte de visitantes de fora do país. Entre outubro de 2016 e outubro de 2017, as dormidas de estrangeiros aumentaram 36,4%, para 311.000 (tinham sido 228.026 em outubro de 2016). Comparativamente, a média nacional de crescimento de dormidas de estrangeiros foi de 6,5%.

Isto não quer dizer que os cidadãos nacionais tenham deixado de procurar o Centro de Portugal. Pelo contrário: em outubro deste ano, registaram-se na região 238.175 dormidas de visitantes nacionais, mais 4,5% que em outubro de 2016.

Os restantes indicadores registados pelo INE são também muito encorajadores para o Centro de Portugal. É o caso do total de hóspedes, que entre os dois meses de outubro subiu 17,5%, para 316.786.

O enorme crescimento nas dormidas e nos hóspedes tem, naturalmente, reflexos positivos nas receitas. Entre outubro de 2016 e outubro de 2017, há a registar um forte crescimento nos proveitos totais (34,9%) da atividade turística no Centro de Portugal, que ultrapassaram os 27 milhões de euros. Assim como na taxa de ocupação dos quartos, que subiu 5,6%. Se analisarmos os meses de janeiro a outubro, há um crescimento de 16,7% nos proveitos totais. Dados muito positivos para os empresários que estão a investir no turismo da região.

Fonte: Turismo do Centro de Portugal

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.