“A grande novidade deste ano é a BTL cultural. Tem sido um grande desafio nos últimos anos e finalmente concretiza-se. O objetivo é dar espaço a todas as entidades que, em Portugal, promovem a cultura, desde os museus aos espetáculos”, revelou Fátima Vila Maior.

A diretora do evento falava na apresentação da 31.ª edição da BTL, que decorreu hoje na Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, no Seixal, distrito de Setúbal, onde realçou que grande parte do turismo “se deve a questões culturais”.

“Quando visitamos uma capital europeia, por exemplo, as nossas motivações também têm a ver com o património, com o que existe em termos culturais na região”, explicou.

A BTL cultural vai localizar-se no pavilhão dois, resulta de uma parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian e conta com a participação de outras organizações culturais, como a Fundação Serralves, o MAAT, a Fundação Berardo e o Centro Cultural de Belém.

Segundo Fátima Vila Maior, outra das novidades é a abertura de quatro pavilhões, em vez de três, os quais estão “completamente cheios”.

“Nesta altura ainda não podemos dizer, mas quase que acreditaria que vai ser a maior BTL de sempre”, afirmou.

Aliás, a diretora espera que a feira receba “cerca de 70 mil visitantes”, entre os quais profissionais do setor e pessoas que visitem a feira no fim de semana à procura de “viagens acessíveis”.

O pavilhão um abre com Lisboa, o destino nacional convidado na edição de 2019, e conta com as restantes regiões de Portugal (Alentejo, Algarve, Norte, Centro, Açores e Madeira), o que permite que os visitantes fiquem a “conhecer o país e as suas experiências”.

Já a entrada do pavilhão dois está reservada para o Seixal, o município convidado deste ano, o qual tem procurado desenvolver a vertente turística, promovendo a baía integrada no estuário do Tejo e a extensa frente ribeirinha.

Ainda neste pavilhão, além da BTL cultural e dos outros municípios, estará também localizada a animação turística e a gastronomia, que será “mais pequena” do que nos anos anteriores, mas conta com cinco restaurantes de várias regiões do país e seis tasquinhas, segundo Fátima Vila Maior.

De acordo com a diretora, entre 13 e 14 de março volta a decorrer o programa de ‘hosted buyers, “que tem trazido à BTL cerca de 200 a 300 ‘tours’ operadores internacionais” para conhecer a oferta do país, e, no fim de semana, entre 15 e 17 de março, terá a bolsa da empregabilidade, “com mais de dez mil ofertas de emprego na área do turismo”.

Já no pavilhão três vai estar localizada a BTL LAB, que representa a inovação no turismo e dá a conhecer 40 ‘startups’, e uma zona dedicada ao enoturismo, afirmando como Portugal “é cada vez mais um país de vinhos”.

No pavilhão quatro encontram-se as agências de viagens e destinos internacionais, destacando-se a novidade Goa, na Índia.

A edição de 2019 decorrerá entre 13 e 17 de março, na Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações.

Fonte: Lusa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.