Os museus do Vaticano vão reabrir com obrigatoriedade de uso máscaras e  verificação da temperatura antes da entrada, de acordo com as diretrizes de segurança descritas pelas autoridades de saúde italianas. O Vaticano anunciou também que vai estar presente uma equipa médica durante as visitas e que, como estas só poderão ser feitas mediante reserva, são dispensadas as taxas de emissão antecipada de bilhetes no valor de quatro euros.

No itinerário dos museus, encontra-se a Capela Sistina, com o teto coberto por Michelangelo, enquanto às sextas e sábados os visitantes podem tomar um aperitivo ao pôr do sol no pátio do Vaticano, igualmente por reserva.

O horário de funcionamento também sofreu alterações, passando agora a receber visitantes de segunda a quinta das 10h às 20h (última entrada às 18h) e de sexta a sábado das 10h às 22h (última entrada de 20h). Para evitar atrair uma multidão muito grande, o Vaticano suspendeu a típica visita gratuita aos museus no último domingo do mês.

Foi ainda anunciada a oferta aos visitantes de passeios em autocarros abertos ao longo dos jardins do Vaticano, e aos fins de semana o público poderá visitar a residência de verão do Papa, em Castel Gandolfo, uma cidade montanhosa perto de Roma. A residência de verão de longa data dos papas que queriam escapar do calor romano durante julho e agosto, ficou vazia nos últimos sete anos, já que o Papa Francisco prefere passar o verão na Cidade Eterna. Em 2016, três anos após a eleição do Papa Francisco, a vila foi aberta ao público para ajudar a gerar receita para a pequena cidade onde está localizada e para oferecer aos turistas uma visão nos aposentos papais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.