Um estudo realizado online pela Travelocity revela que pelo menos metade dos viajantes da geração Y disseram que tiveram uma péssima experiência de viagem com um amigo e, para os viajantes da Geração Z, uma má viagem traz grandes consequências.

Mais de metade (52%) dos viajantes com idades entre 18 e 24 anos pararam de falar com um amigo depois de um período mau de férias juntos.

"Mais de 80% dos viajantes concordam que realmente não conhecemos alguém até viajarmos com essa pessoa”, disse Laura Molnar, da Travelocity. "Diferenças de personalidade são o maior problema. Quase metade dos entrevistados (48%) revelou que eles simplesmente não conseguiam lidar com amigos barulhentos, rudes ou irritantes ou com aqueles que não partilhavam os mesmos interesses."

Os melhores amigos nem sempre são os melhores companheiros de viagem

Segundo o estudo, os amigos são os piores companheiros de viagem (47%), seguidos de perto pelos familiares (30%). “Outros” (15%) ficaram em terceiro lugar na lista, enquanto os cônjuges e colegas de trabalho foram considerados os melhores companheiros.

Idade e maturidade também foram fortes indicadores de que se uma amizade pode ou não suportar férias juntos. A Geração Milénio (44%) e Geração Z (37%) revelaram ter uma maior probabilidade de relatar um mau companheiro de viagem, enquanto os Boomers são os menos propensos a reclamar de um parceiro de viagem.

Não estrague uma viagem por causa de um mau companheiro

Com base nos resultados da pesquisa, a Travelocity criou um pequeno teste para ajudar os turistas a descobrir se eles serão os melhores amigos antes de embarcar numa viagem neste verão. De 8 de junho a 30 de junho, qualquer pessoa que concluir o teste em Travelocity.com/TravelCompatible. Através do teste, os viajantes podem combinar um dos seis tipos de personalidade de viagem, com base em como preferem passar as suas férias. A partir daqui, os viajantes descobrem quais os companheiros mais adequados ao seu estilo e exploram destinos e atividades ideais para uma viagem juntos, sem dramas.

Conclusões gerais do estudo:

- Os amigos são os piores companheiros de viagem (47%), seguidos pelos familiares (30%), “outros” (15%) e cônjuges (7%).

- Daqueles que tiveram um mau companheiro de viagem, 40% dos entrevistados disseram que pararam de falar indefinidamente ou por um período de tempo.

- Os homens são mais propensos a citar os cônjuges (13%) e colegas de trabalho (19%) como maus companheiros de viagem. As mulheres (21%) indicaram os familiares como maus companheiros de viagem.

- 3 em 4 viajantes dizem que nunca se conhece alguém até viajar com eles.

- As mulheres (57%) e os viajantes da Geração Z (71%) são os mais propensos a ficar mais nervosos ao viajar com alguém novo.

- Quase metade (50%) dos viajantes Milénio tiveram um mau companheiro de viagem. Quase 40% dos outros viajantes também.

- Daqueles que tiveram um mau companheiro de viagem, perto de metade (48%) disse que as diferenças de personalidade arruinaram a viagem.

- Falar alto, ser mal educado ou irritante foram os traços de personalidade mais problemáticos (23%).

- Não partilharem os mesmos interesses foi outro desafio (22%).

Como conclusão, 81% dos participantes disseram que devemos escolher os nossos parceiros de viagem com cuidado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.