O desenho, descoberto pela historiadora Sandra Toffolo, especialista no renascentismo, faz parte de um manuscrito que narra a jornada de Niccolò da Poggibonsi, um viajante italiano que passou por Veneza durante a viagem a Jerusalém, entre 1346 e 1350.

"A descoberta desta paisagem da cidade tem grandes consequências para o nosso conhecimento de Veneza, porque mostra que a cidade despertava um grande fascínio desde então", disse Toffolo no comunicado onde anuncia a descoberta, que foi publicado no site da Universidade de St. Andrews.

Poggibonsi descreve a cidade com um desenho a lápis, onde se pode ver os canais, os telhados das igrejas, as gôndolas e várias torres medievais.

O manuscrito, preservado na Biblioteca Nacional de Florença, provavelmente, data de 1350 e retrata uma cidade que já parecia fascinante.

Toffolo descobriu o desenho em maio de 2019 durante uma pesquisa na biblioteca florentina sobre a cidade de Marco Polo.

Ao encontrar o mapa, percebeu que a imagem de Veneza era anterior às conhecidas até agora, com exceção dos mapas de navegação utilizados entre os séculos XIII e XVIII.

O mapa mais antigo de Veneza foi feito por Fra Paolino, um frade franciscano, e data de 1330, segundo a universidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.