Os viajantes que usaram a plataforma Airbnb em 2018 para viajar para Portugal gastaram 513 milhões de euros em restaurantes e cafés, de acordo com um inquérito realizado pela plataforma e a análise de dados internos. Este número coloca Portugal como o 10º país do mundo e o quinto da Europa com maior nível de gastos por parte dos viajantes. Na Europa, Portugal surge apenas atrás de França, Espanha, Itália e do Reino Unido. A nível global, estima-se que os utilizadores da plataforma gastaram pelo menos 25.000 milhões de dólares (21.000 milhões de euros) em restaurantes e cafés nos 46 países e regiões analisados em 2018, e espera-se que este gasto supere os 30.000 milhões de dólares (27.000 milhões de euros) em 2019.

Cerca de 89% dos anfitriões portugueses na plataforma afirmam recomendar restaurantes e cafés aos seus hóspedes, ajudando a que mais pessoas visitem lugares que poderiam não ter descoberto através da internet. Metade dos hóspedes afirma gastar o dinheiro que poupa ao alojar-se através da Airbnb nos destinos que visita. Os viajantes dizem efetuar, em média, 42% dos seus gastos nos bairros em que se alojam, o que ajuda a manter o impacto económico do turismo nas comunidades locais e a expandir os benefícios económicos do turismo fora das zonas turísticas tradicionais onde frequentemente se concentram outros tipos de alojamentos. Os restaurantes e cafés beneficiam desta dinâmica, já que 77% dos viajantes que usaram a plataforma afirmaram que experimentar o destino da mesma forma que um residente local influenciou a sua decisão de usar Airbnb.

Na Europa, estima-se que os hóspedes que usaram Airbnb gastaram pelo menos 11.000 milhões de dólares em restaurantes e cafés em 2018, incluindo 2.700 milhões em França e 1.300 milhões no Reino Unido.

O gasto estimado dos hóspedes em restaurantes e cafés baseia-se em dados internos da Airbnb e em aproximadamente 14.000 respostas a um inquérito voluntário enviado a uma amostra de contas de hóspedes na plataforma da Airbnb que realizaram uma viagem para esses destinos em 2018. As estimativas de 2019 baseiam-se nos níveis de gastos de 2018 e dados internos da Airbnb para os períodos de janeiro-outubro 2019 e outubro-dezembro 2018. Todas as restantes percentagens relativas aos comportamentos de anfitriões e hóspedes na plataforma da Airbnb baseiam-se em mais de 237.000 respostas ao mesmo inquérito voluntário à amostra de contas de hóspedes na plataforma da Airbnb em todo o mundo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.