O folar, uma espécie de bolo de carnes, é presença obrigatória na mesa dos transmontanos durante a celebração da Páscoa e é também a atração principal da feira que se realiza entre 12 e 14 de abril, em Valpaços, no distrito de Vila Real.

O presidente da Câmara de Valpaços, Amílcar Almeida, disse hoje que a 21.º edição do certame deve alavancar um volume de negócio na ordem dos “1,5 milhões de euros” no recinto da feira e no concelho, através da restauração, hoteleira ou comércio locais.

A organização da feira representa um investimento de cerca de 120 mil euros para o município e o retorno é, segundo o autarca, "claramente superior".

Durante os três dias são esperados entre 150 a 200 mil visitantes, muitos deles provenientes da vizinha Galiza e de toda a região Norte de Portugal.

Em 2017, foi atribuída a Indicação Geográfica Protegida (IGP) ao folar de Valpaços.

Este ano, ainda haverá à venda folar não certificado no recinto da feira, já que, de acordo com Amílcar Almeida, alguns produtores ainda estão em processo de licenciamento.

“Em 2020, só participará na feira do folar todos aqueles que estejam em condições de apresentar o folar com IGP, porque isso traduz a qualidade e o mérito de quem trabalha”, salientou o autarca.

Pelo recinto vão espalhar-se 97 expositores e à venda estarão folares de produção tradicional e industrial, produzidos pelas padarias ou em fornos de particulares, que aproveitam o certame para fazer algum rendimento extra.

A feira é também uma "oportunidade única para que muitos produtores arranjem clientela para vender o folar o ano inteiro e não apenas na época da Páscoa".

O certame serve para promover e potenciar outros "importantes produtos" deste concelho, como a castanha, o azeite ou o vinho.

“Esta feira é uma verdadeira montra dos produtos da terra”, frisou Amílcar Almeida.

Fonte: Lusa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.