"Hoje, é melhor comer num restaurante, que é cuidadoso, do que em casa, onde alguém é obrigado a ir ao supermercado e onde todos tocam nas frutas, cruzam-se e não usam máscaras", declarou Ducasse à AFP.

"A retoma da atividade dos restaurantes será melhor em termos de segurança para a saúde", insistiu o chef, que conta com 17 estrelas Michelin, após uma reunião na sexta-feira entre o setor da restauração e o presidente Emmanuel Macron.

Segundo Ducasse, os restaurantes franceses poderiam reabrir "entre 2 e 20 de junho", se a pandemia de coronavírus diminuir.

O governo francês indicou que tomará uma decisão sobre a data de reabertura no final de maio.

O Instituto Culinário da França, que defende o património gastronómico do país e cujo fundador é Ducasse, pediu numa carta aberta ao presidente da República um "desconfinamento parcial da restauração responsável".

Os cafés, bares e restaurantes na França estão fechados desde 15 de março e a situação do setor "é catastrófica", alertou Ducasse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.