O projeto “Receitas que Contam Histórias – Gastronomia e Vinhos das Aldeias Históricas de Portugal” constitui “uma intensa investigação no domínio da arqueologia alimentar que teve início em junho deste ano”, segundo a entidade promotora.

A Associação das Aldeias Históricas de Portugal refere em comunicado enviado hoje à agência Lusa que a iniciativa “começou com a recolha de testemunhos junto da população residente, com o objetivo de identificar as receitas que são a essência do território”.

Acrescenta tratar-se de “uma extraordinária inventariação de conhecimentos ancestrais, saberes tradicionais e técnicas artesanais que agora vai ser perpetuada, mas também promovida junto do setor da restauração e hotelaria local (com harmonização de vinhos da região), de modo a reforçar as Aldeias Históricas de Portugal como um destino turístico verdadeiramente singular e excecional”.

“Durante três meses, muitos dos residentes das 12 Aldeias Históricas (na sua maioria anciãos) foram entrevistados, com vista à recolha detalhada dos saberes, receitas, métodos de confeção, especificidades, tradições e produtos endógenos existentes ou que até se tenham ‘perdido’ no tempo. Ou seja, a informação necessária para a inventariação do cardápio gastronómico do território, assim como dos métodos de confeção dos respetivos pratos”, é explicado.

Identificadas as receitas, está em curso o seu desenvolvimento pela Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, com harmonização de vinhos da região, através de uma parceria com a Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior (CVRBI).

Para além do desenvolvimento do receituário, a mesma escola também será responsável pela realização de ‘workshops’ e de sessões de formação para os agentes privados do setor da hotelaria e restauração do território abrangido.

A Rede das Aldeias Históricas de Portugal integra as localidades de Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso.

O presidente da Associação das Aldeias Históricas, António Robalo, refere, citado na nota, que o projeto “é extraordinariamente importante para a consolidação do território como destino turístico sustentável de qualidade”.

Por sua vez, Rodolfo Queirós, presidente da CVRBI, afirma que se congratula com o repto para aquela entidade “harmonizar as ementas das 12 Aldeias Históricas de Portugal com os vinhos da Beira Interior”.

José Luís Marques, diretor da Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, também citado no comunicado, declara que a instituição que dirige “saúda, com entusiasmo, a criação de uma carta gastronómica das Aldeias Históricas de Portugal”.

“Temos a certeza de que será um projeto de sucesso, de resultados e de inspiração para outras entidades que queiram investir no seu território, nas suas gentes e no Turismo”, considera, por fim, André Soares, da Associação Fórum Turismo.

A iniciativa é realizada ao abrigo do Programa Valorizar, linha de apoio “Valorização Turística do Interior”, cofinanciada pelo Turismo de Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.