Quando o passado, em vez de ser apagado, fica para contar a história, o resultado é “Dois Três Três”. Assim se chama o restaurante de “comida viva”, com opções vegetarianas, vegan e sem glúten, aptas para celíacos, situado na zona de Campo de Ourique, em Lisboa. O espaço era uma antiga drogaria. Ficaram os móveis que revestem as paredes, aos quais foram adicionados elementos decorativos, que nos fazem recuar à infância. As memórias são cozinhadas com alimentos sempre frescos e sazonais.

Dois Três Três: Antiga drogaria dá lugar a restaurante vegan e sem glúten
créditos: Starting Today

Marta Maia de Loureiro é a proprietária e o rosto do restaurante. Apesar de nunca ter tido um espaço do género, chegou a trabalhar nesta área, quando residia no Algarve, onde dava algum apoio, ao nível de logística e de pessoal. Ao mudar-se para Lisboa, foi viver para Campo de Ourique, um dos bairros mais tradicionais da cidade, e deu de caras com a drogaria. “Quando soube que estava para venda, mostrei interesse nos móveis. Eles são, de certa forma, a alma deste espaço”, conta a responsável. Acabaria por comprar tudo, móveis incluídos.

Por razões de saúde, Marta foi aconselhada a mudar de alimentação e a evitar o glúten, a lactose e o açúcar. Além disso, há quase dois anos, quando inaugurou o restaurante, as ofertas vegetarianas e vegan eram ainda muito limitadas na cidade. Daí que o conceito do restaurante tenha sido definido naturalmente. Foi uma extensão da sua própria vida. Quase como se a sua sala de jantar fosse ali, no número 233 da rua Silva Carvalho, pronta para receber diariamente quem opta por este tipo de alimentação. Mas não só.

Sopa de ervilhas e hortelã
Sopa de ervilhas e hortelã créditos: Starting Today

Todos os dias, há um prato de carne ou peixe, para quem não dispensa proteína animal. A ementa vai sendo definida de acordo com a sazonalidade dos alimentos, existindo sempre uma sopa e três pratos: habitualmente, um de carne ou peixe, um vegetariano e um vegan. Nas sobremesas, há o mesmo cuidado. O açúcar branco foi substituído pelo amarelo e o açúcar de coco e é usada cada vez menos quantidade. O bolo de chocolate, por exemplo, que está sempre disponível, por culpa da exigência dos clientes, não tem glúten nem lactose.

As receitas resultaram de um trabalho exaustivo de pesquisa e investigação. Marta contou com a preciosa ajuda da chef Ana Burgute, antiga ceramista, que trabalhava habitualmente em catering com a mãe. “Quando abri, muita gente me disse que era um conceito demasiado radical e arriscado, que não iria dar certo, mas eu acreditei, tal como acredito hoje, apesar das dificuldades”, sublinha a proprietária.

Crepe de trigo sarraceno, quinoa e húmus
créditos: Starting Today

Os clientes, moradores e funcionários de empresas situadas nas proximidades do restaurante, são regulares e, quando não se podem deslocar, o “Dois Três Três” entrega-lhes a comida. Seja ao almoço ou ao lanche. As encomendas podem ser feitas através de uma avença ou avulso.

Bacalhau com puré de grão e grelos, entrecosto com grelos e feijão branco, douradas no forno, fusili com beringela, tomate e queijo feta, salada de salmão fumado, feijoada, tortilha de ricota e legumes e beringelas recheadas com legumes, lentilhas e crosta de avelã são alguns dos pratos com mais sucesso.

Mousse de maçã e beterraba
créditos: Starting Today

Ao sábado, há brunch, para experimentar vários tipos de pão, alguns sem glúten, que também se podem encomendar, pudim de chia com fruta e leite de coco, papas de aveia com leite vegetal, sumos verdes, smoothies e barras de cereais caseiras, entre outras opções saudáveis.

O menu de almoço custa 11€ e inclui sopa, prato, chá do dia e café.

Comecei por experimentar a sopa de ervilhas com um toque de hortelã. Um creme muito saboroso e equilibrado, que aumentou as expetativas para o prato principal: o crepe de trigo sarraceno, com quinoa, broccolini, cuscuz de couve flor e húmus de caril, acompanhado por salada. Além de ser um prato cheio de cor, e os olhos também comem, é uma mistura curiosa de sabores diferentes que combinam de forma deliciosa.

Dois Três Três: Antiga drogaria dá lugar a restaurante vegan e sem glúten
créditos: Starting Today

Nota-se, sem dúvida, a frescura dos alimentos. O chá do dia era de erva cidreira e gengibre, muito adequado à época do ano. Para terminar, experimentei a mousse de maçã e beterraba, um pouco intensa para mim, mas cremosa e rica nutricionalmente.

Por Helena Simão, blogger do Starting Today


Horário

Segunda a sexta-feira: 9h às 16h

Sábado: 10h às 16h

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.