Ao mergulhar nas profundezas da cozinha italiana vai perceber que o melhor se faz com amor e respeitando os sabores originais. Não abuse dos molhos, tenha atenção às pastas que coloca queijo parmesão e, por favor, não corte a pasta com garfo e faca (é sagrada). Tenha em mente que um bom prato italiano não se faz da adição, mas sim da subtração, ou seja, pensa-se naquilo que se pode tirar e não no que acrescentar.

Para sentar-se à mesa como um italiano tem de acreditar que a comida tem magia. Afinal, na gastronomia italiana, não se juntam apenas ingredientes numa panela. É como se se tratasse de uma porção mágica - da soma dos ingredientes surge algo mais (1+1=3). E isso pode explicar por que os italianos comem melhor que ninguém.

Pasta italiana
créditos: Unsplash

Com base no livro Pasta, Pane, Vino: Deep Travels Through Italy's Food Culture, de Matt Goulding, a revista Condé Nast Traveller (CNT) mostra-nos oito formas de comer como um italiano e tirar maior proveito de uma das gastronomias mais populares do mundo. Fique a conhecer:

Torne cada refeição única

As refeições não são só para encher o estômago, são também uma oportunidade de se reunir com a família ou amigos, partilhar, debater e de se desconectar das distrações do dia a dia. Torne cada refeição num evento: sente gente à sua mesa, se comer fora, peça o que lhe der mais prazer e não tenha pressa. Em Itália, as refeições podem (e devem) durar duas ou três horas.

Faça você mesmo

Liberte-se da rotina do restaurante e mergulhe mais fundo na despensa da Itália. Compre 100 gramas (un etto) de três ou quatro tipos de salame, junte queijo, azeitonas, pimentos assados, alcachofras, um pedaço de focaccia e uma garrafa de vinho. Arrume tudo num cesto e faça um piquenique numa praça ou parque.

Adoce as suas manhãs

Se quiser comer como um italiano não precisa de aguardar pela hora da sobremesa para atacar os doces. É que os italianos começam o dia de uma forma muito doce:  bolos recheados, cannoli com crosta de pistachio e croissants com chocolate.

8 formas de comer como um italiano
Cannoli créditos: Pixabay

Aprenda com quem sabe

3 experiências gastronómicas em Itália para os amantes da massa
3 experiências gastronómicas em Itália para os amantes da massa
Ver artigo

A avó (nonna) é quem conhece bem os ingredientes, quem cria receitas e a razão pela qual a comida continua a ter um papel importante na vida dos italianos.

Não tem uma nonna italiana? Não desanime. O site RentaMamma.com permite-lhe aprender a cozinhar com uma verdadeira nonna. E se não gosta de cozinhar, uma nonna poderá cozinhar para si e para o seus convidados na sua cozinha.

Domine o mercado

Mais do que grandes cozinheiros, os italianos são compradores geniais, motivados pela crença de que têm o dever para com Deus de regressar do mercado com a melhor carne, peixe e produtos possíveis. Independentemente do que for comprar, seja um tomate ou um quilo de sardinha, não deixe de ser exigente, seletivo e implacável na busca pela perfeição.

Seja moderado

Numa cultura onde o parmesão em muitas massas (especialmente naquelas a base de frutos do mar) é um sacrilégio, e onde até uma fatia de limão pode ser vista como um ataque ao marisco, ser moderado é importante. É a moderação que une as diferentes regiões italianas e a caraterizar a gastronomia italiana. Saboreie a simplicidade e a oportunidade de estar num mundo onde o menos é quase sempre mais.

Organize o menu

O menu italiano tem cinco categorias: antipasti (entradas), primi (pasta, arroz e sopa), secondi (prato principal), contorni (vegetais) e dolci (sobremesa). Na melhor das hipóteses, terá espaço para três, por isso, escolha bem.

Mangia! Mangia!

A única coisa mais perigosa do que a falta de paciência em Itália é a falta de apetite. Onde quer que vá, espere que insistam que coma. Comer com entusiasmo é uma maneira fácil de mostrar e ganhar respeito, por isso, o melhor será soltar o cinto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.