Falando na Conferência Internacional sobre o Desenvolvimento do Turismo, realizado hoje em Pequim, Nyusi afirmou que 139 milhões de dólares (124 milhões de euros) foram investidos no turismo no ano passado e o setor emprega 50 mil pessoas.

"Estes indicadores, embora representem um aumento considerável comparativamente aos anos anteriores, estão longe de corresponder ao potencial que Moçambique oferece", declarou o chefe de Estado moçambicano.

Para capitalizar as oportunidades que o setor oferece, prosseguiu o chefe de Estado moçambicano, o Governo está empenhado na melhoria do desempenho institucional, através da promoção de um ambiente mais favorável ao investimento no turismo".

A simplificação de procedimentos para o licenciamento de atividades económicas e a atribuição de mais incentivos aos investidores e utentes das instâncias turísticas de que o país dispõe incluem-se entre as ações em curso para a criação de um clima mais propício ao desenvolvimento do turismo em Moçambique, acrescentou o chefe de Estado moçambicano.

Segundo Filipe Nyusi, o Plano Estratégico para o Desenvolvimento do Turismo, elaborado pelo Governo para a próxima década, prevê que, em 2025, "Moçambique seja o destino mais vibrante, dinâmico e exótico em África".

Nyusi já tinha realçado o papel estratégico do turismo para o desenvolvimento de Moçambique, quando discursou hoje no Fórum Empresarial Moçambique-China, apontando ainda a agricultura, energia e infraestruturas como prioridades do seu Governo.

"Os setores que mais prometem são os de agricultura e agroprocessamento, recursos minerais e energia, turismo, serviços financeiros e desenvolvimento de infraestruturas, incluindo telecomunicações e de transporte", sublinhou o chefe de Estado moçambicano.

Após vários anos com um crescimento económico acima dos 7%, e, em 2015, com um PIB de 6,3%, há uma forte previsão de entrada em Moçambique de mais investimento direto estrangeiro, acrescentou Filipe Nyusi, apesar de em 2015 os projetos autorizados de investimento terem caído 75% face ao ano anterior.

Referindo-se à presença empresarial chinesa, Nyusi afirmou que, em 2015, Moçambique aprovou 92 projetos de investimento no valor de 823 milhões de dólares (734 milhões de euros), com potencial para a criação de cerca de 14 mil postos de trabalho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.