Último dos três ciclos anuais do “Caminhos do Médio Tejo”, o programa que se realiza no outono é dedicado às estradas (sendo que o da primavera segue as linhas ferroviárias e o do verão o curso dos rios), abrangendo municípios que integram a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT, dos distritos de Santarém e Castelo Branco).

No primeiro fim de semana dos "Caminhos da Pedra", cerca de 2.000 pessoas assistiram a 34 atuações de 10 projetos artísticos, entre música, teatro de rua, circo contemporâneo, dança e percursos, que decorreram em Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Sardoal e Tomar, afirma uma nota da CIMT.

O que pode ver

A partir de quinta-feira e durante quatro dias, os municípios de Ferreira do Zêzere, Ourém, Sardoal, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha vão receber cerca de 20 espetáculos de música, teatro, circo contemporâneo e percursos performativos no território.

Na música, atuarão La Negra, Norberto Lobo com Ricardo Jacinto e Marco Franco, Cristina Branco, Senza e Voz à Solta, um projeto de comunidade liderado pelo compositor Rui Souza que conta com a participação da população de Ourém e de Vila Nova da Barquinha.

Estão ainda programados os espetáculos de teatro “Se eu vivesse, tu morrias”, de Miguel Castro Caldas, e “Aurora”, de Mandrágora, e de circo contemporâneo “Gigante”, de La Pequeña Victoria Cen, e “SAVAR A.M.”, da Companhia Erva Daninha.

Burilar vai conduzir o percurso “De mapa na mão” e Francisco Goulão “Andão mortos por sima dos vivos”.

Um programa com paisagem

Criado em 2017 pela CIMT e os 13 municípios que a integram, o projeto pretende “proporcionar encontros em redor da cultura, colocando os recursos e espaços naturais ao serviço das comunidades” e “encontros dos artistas com as comunidades, dos residentes com os vizinhos ou com outros visitantes, da arte com o entretenimento e da cultura com a paisagem natural”, acrescenta a nota.

com LUSA

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.