Costumo dizer que ir aos Açores sem fazer uma caminhada é como ir a Roma e não ver o Papa. Um trilho pedestre é uma das melhores coisas para se fazer nos Açores. Claro que cada ilha tem os seus pontos de interesse principais, mas é quando nos aventuramos um pouco mais e entramos natureza adentro que a verdadeira magia açoreana sobressai. Palavra de açoreano.

Caminhar nos Açores

Vamos a números. As 9 ilhas dos Açores contam com mais de 80 trilhos pedestres oficiais que no total perfazem mais de 800 km de percursos por entre montanhas, lagos, praias, riachos, e florestas.

Isto sem contar com trilhos municipais e outros que nem sequer estão marcados! Curiosamente, o percurso mais longo é numa das ilhas mais pequenas: a grande rota de Santa Maria (GR01SMA) tem mais de 86 km.

6 trilhos pedestres a não perder nos Açores

Muitos outros poderiam aqui estar, mas escolhi estes pela sua diversidade de paisagens e níveis de dificuldade.

1. Caldeirão (Corvo)

Extensão: 4.8km
Duração: 2-3 horas.
Dificuldade: Média.

Caldeirão (Corvo)
Caldeirão (Corvo) créditos: DR

Começamos em grande, e na ilha mais pequena delas todas. Este trilho circunda a antiga cratera vulcânica do Caldeirão, o ex-libris do Corvo. Apesar do tempo não ter colaborado, este é sem dúvida um dos sítios mais incríveis que já visitei.

2. Chá Gorreana (São Miguel)

Extensão: 3.4km
Duração: 1-2 horas.
Dificuldade: Baixa.

Chá Gorreana (São Miguel)
Chá Gorreana (São Miguel) créditos: DR

Um pequeno trilho circular bastante fácil (excepto a subida inicial) que leva a serpentear por entre as famosas plantações de chá Gorreana. Vistas lindíssimas sobre a costa norte da ilha de São Miguel.

3. Montanha do Pico (Pico)

Extensão: 7.6km
Duração: 6-8 horas, dependendo do nível de fitness, do tempo, etc.
Dificuldade: Alta.

Montanha do Pico
Montanha do Pico créditos: DR

Apesar de este trilho não constar da lista de trilhos oficiais, subir a montanha do Pico é, sem dúvida, um dos mais emblemáticos e memoráveis que se pode fazer. É uma subida difícil (desnível de 1150m!) e a descida pode ser igualmente complicada para os joelhos, mas se o tempo estiver claro, as vistas são absolutamente incríveis. Contratar um guia é altamente recomendável.

4. Serra do Topo - Fajã dos Cubres (São Jorge)

Extensão: 10km
Duração: 2-3 horas.
Dificuldade: Média.

Serra do Topo - Fajã dos Cubres (São Jorge)
Serra do Topo - Fajã dos Cubres (São Jorge) créditos: DR

Se as fajãs são uma paisagem típica da ilha de São Jorge, a Fajã de Santo Cristo é, possivelmente, a mais arrebatadora de todas. Este trilho passa exatamente por lá, com uma lagoa natural perfeita para nadar, relaxar e contemplar a vista.

5. Sanguinho (São Miguel)

Extensão: 4.5km
Duração: 2 horas.
Dificuldade: Média.

Sanguinho (São Miguel)
Sanguinho (São Miguel) créditos: DR

Começa na pequena povoação do Faial da Terra e leva-nos até uma cascata no meio da floresta. Esta caminhada é diferente dos restantes porque não tem tantos espaços abertos e oportunidades para ver vistas, mas em compensação é o que permite uma imersão total na floresta. Um banho de natureza, em todos os sentidos!

6. Serra Devassa (São Miguel)

Extensão: 4.9km
Duração: 2 horas.
Dificuldade: Média.

Serra Devassa (São Miguel)
Serra Devassa (São Miguel) créditos: DR

Trilho circular na zona ocidental de São Miguel que passa por uma série de lagoas: começando na Lagoa do Canário (apelidada por turistas como a Lagoa Snapchat, devido às similaridades com o logo da plataforma) e passando pela Lagoa Rasa, Lagoa das Empadadas, e a Lagoa das Éguas. O tempo na zona das Sete Cidades é muito incerto, mas, se tiver sorte, as paisagens são incríveis.

O que saber antes de ir

Todos os trilhos oficiais estão disponíveis na página do Turismo dos Açores. A aplicação Wikiloc tem dezenas de outras opções alternativas.

A esmagadora maioria dos trilhos estão bem sinalizados e bem conservados. Com a excepção da subida ao Pico, não é necessário guia. No entanto, é útil tirar uma foto ao mapa à entrada de cada trilho.

Não se esqueça de água, protetor solar e bom calçado.

Evite fumar e traga consigo todo o lixo que levar. A Natureza não é um caixote de lixo.

Referências

Pode saber mais informação no meu guia sobre trilhos nos Açores.

Estou também no Instagram e no Twitter.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.