Se Portugal for bem sucedido na fase de grupos, e passar aos oitavos de final, vai regressar a uma de duas cidades onde já terá jogado – para disputar o jogo 49 em Sochi ou o jogo 51 em Moscovo (Lujniki).

Fazendo “figas” para que a seleção nacional continue a vencer, e passe aos quartos de final, há novamente duas hipóteses – realizar o jogo 57 em Níjni Novgorood ou o jogo 59 em Sochi. Como de todas estas cidades que podem estar no radar dos 23 gloriosos a única desconhecida será Níjni Novgorood, é essa que damos agora a conhecer.

Fundada em 1221 é atualmente a capital do Oblast de Níjni Novgorood e uma das maiores metrópoles da Rússia. Curiosamente, entre os anos de 1932 e 1990, passou a ser chamada de Gorky, por se tratar da terra natal do escritor Maxim Gorky. No final do século XIX tornou-se num importante centro industrial, chegando a ser apelidada de “Detroit Russa”. Costumava dizer-se que para a Rússia, Moscovo era o coração, São Petersburgo era o cérebro e Gorky era o bolso! Durante a Segunda Guerra Mundial a cidade tornou-se no maior fornecedor de equipamentos militares para a frente de combate, mas após o conflito converteu-se numa cidade fechada. Durante a Guerra Fria foi o centro de pesquisas secretas de armas nucleares, pelo que era proibido aos forasteiros visitá-la. Gorky só voltou a abrir-se para o mundo após a dissolução da União Soviética, altura em que também recuperou a denominação original. Banhada pela confluência dos rios Olga e Volga (sendo este o mais longo rio de toda a Europa) é hoje o principal centro de turismo fluvial da Rússia.

Estádio Níjni Novgorod
Estádio Níjni Novgorod @wikipedia | Public Domain créditos: Wikipédia

Estádio de Níjni Novgorood: Este estádio foi construído propositadamente para receber os jogos do Mundial de Futebol e ficou concluído em 2017. Com capacidade para quase 45 mil espetadores, destaca-se pelos seus tons azul e branco, que comungam com a paisagem da região onde se encontra, marcada pelo Rio Volga. No final da competição irá acolher as partidas do FC Olimpiyets Nizhny Novgorood que disputa a primeira liga russa de futebol, bem como outros eventos desportivos e concertos.

Kremlin: A fortaleza composta por uma extensa muralha com cerca de 12 km e 13 torres foi construída em 1515. Atualmente a maioria dos edifícios que se encontram no interior da muralha pertencem a estruturas governamentais, mas ali também se encontram os dois principais museus da cidade e a catedral do Arcanjo São Miguel. A coleção do Museu de Arte apresenta-se por ordem cronológica com ícones que vão desde o século XIV ao século XVII, sendo que depois se seguem as grandes pinturas a óleo dobre tela de mestres russos, culminando com arte Soviética. Já o Centro Nacional de Arte Contemporânea, localizado no antigo Arsenal do Kremlin, oferece exposições em constante mudança, com trabalhos de artistas contemporâneos russos e estrangeiros. A Catedral do Arcanjo São Miguel, construída no século XVII, é o mais antigo edifício sobrevivente do kremlin. Contém o túmulo de Kuzma Minin, que juntamente com Dimitry Pozharsky (ambos heróis nacionais que tiveram um papel preponderante na defesa do país aquando da invasão Polaca do século XVII), é homenageado num obelisco no exterior da igreja ortodoxa. Durante os meses mais quentes é possível passear pelas muralhas do kremlin a apreciar a vista do rio.

Pechersky Ascension Monastery
Pechersky Ascension Monastery © Madrugadaverde | Dreamstime.com créditos: Dreamstime

Mosteiro da Ascensão de Pechersky: Este mosteiro do século XVII apresenta uma catedral austera de 5 cúpulas e duas raras igrejas. Com vista para o rio Volga é um óptimo local para um passeio tranquilo numa zona pitoresca. É também uma óptima oportunidade para apanhar o teleférico, que se encontra ali bem perto e que faz a ligação à cidade de Bor. O interesse não está no destino mas sim na viagem de cerca de 13 minutos sobre o rio Volga. No Inverno é possível ver pessoas a pescar no gelo e no Verão há pântanos e a paisagem é marcada por verdes exuberantes e azuis suaves.

Nizhegorodskaya Fair,
Nizhegorodskaya Fair © Saiko3p | Dreamstime.com créditos: Dreamstime

Edifício da Feira: Este enorme e magnífico edifício foi construído em 1816 para acolher um centro de comércio de grande dimensão, que atraía muitos comerciantes, nomeadamente da Índia, do Irão e da Ásia Central e que chegou a ser responsável pela comercialização de metade de produção do país destinada à exportação. No início do século XX, esta “feira” contava com 60 edifícios, por onde se distribuíam cerca de 2.500 bazares e 8 mil bancas de mercadorias e contava ainda com uma ampla variedade de performances para entreter o público. Atualmente o edifício já não tem uma função comercial e foi convertido num centro de exposições.

Casa Museu Maxim Gorky: Este espaço conduz até ao íntimo ambiente do escritor que deu nome à cidade durante a era Soviética. Muitíssimo bem preservada, parece ter parado no tempo, tal como era na época em que Maxim Gorky a habitava, proporcionando uma viagem até aos anos de 1900 a ao mundo criativo deste ícone da literatura russa, considerado o pai do realismo social russo.

Stroganov church
Stroganov church © Miragik | Dreamstime.com créditos: Dreamstime

Igreja Stroganov: Formalmente apelidada de Igreja da Natividade da Bem-aventurada Virgem Maria foi construída em 1719 e é um dos melhores exemplares do estilo Stroganov, um estadista fortemente defensor  das reformas e iniciativas levadas a cabo pelo Czar Pedro, o Grande. No templo destacam-se 5 cúpulas, posicionadas em relação aos “lados” do mundo e pintadas de cores garridas e todas elas são coroadas com uma cruz com um cata-vento. No campanário pode ver-se um relógio com letras eslavas a dividir o círculo em 17 partes, de acordo com o cálculo do tempo na Rússia Antiga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.