Para quem vem da Europa, não há como evitar: o choque cultural é tremendo. As grandes cidades como Deli e Mumbai (Bombaim) são caóticas e sem dúvida intimidam o turista de primeira viagem.

Sabiam que só Deli tem uma população maior do que a da Austrália? Até atravessar uma estrada nesta cidade é uma aventura! As passadeiras são meramente indicativas, ninguém pára - só abranda um pouco. Temos de correr e dar graças a Deus por chegar vivo ao outro lado.

A sujidade das ruas e a pobreza impressionam e mexem muito connosco. É difícil de compreender (e aceitar), para quem vem de fora, estes problemas profundamente enraizados na sociedade indiana. Como é que um país que é uma economia emergente e que tem tantos talentos no campo da medicina, matemática e informática, por exemplo, não consegue instituir um modelo eficiente de limpeza de ruas e instalar saneamento básico nas cidades principais?

É difícil, mas não podemos deixar que essa primeira impressão defina toda a nossa experiência no país. A Índia é muito mais do que isso e, se tivermos uma mente aberta, conseguimos ver e aproveitar tudo o que tem de melhor: a história, os sabores, a filosofia, a arquitectura e… as cores!

Abaixo estão dicas e informações básicas que podem ser úteis numa viagem à Índia.

1. Visto

Já não é preciso ir à Embaixada Indiana tratar directamente do visto. Basta pedir o e-visa online.

2. Vacinas

Não há vacinas obrigatórias para a entrada na Índia, à excepção da vacina contra a febre amarela, para passageiros que viagem a partir de zonas afectadas por esta doença.

3. Língua

Apesar de na Índia falar-se muitas línguas e dialectos, a maioria das pessoas, principalmente nas grandes cidades, fala ou entende inglês.

4. Comida e bebida

A cozinha indiana é carregada de especiarias e sabores fortes. Se o picante não vos incomoda vão adorar experimentar todas as especialidades locais, mas se lidam mal com a pimenta são capazes de sofrer um pouco. Em hotéis de cadeias internacionais podem encontrar pratos mais adaptados ao gosto ocidental.

Bebam sempre água engarrafada. A água da torneira pode não ser potável. Atenção com o gelo nas bebidas.

Comida Indiana
créditos: The Travellight World

5. Aprendam a palavra "Nai" (não) e usem-na!

Garanto que vão precisar. Os vendedores de rua são mais que muitos e quando vêem um turista, literalmente “perseguem-no” na tentativa de vender algo. O conceito de espaço pessoal é quase inexistente em toda a Índia e as pessoas aproximam-se até ficar quase em cima de ti. Se não fores assertiva e mostrares que não estás interessada, não vão largar-te.

6. O que vestir

Os homens não têm com o que se preocupar em termos de roupa, mas as mulheres devem respeitar a sociedade conservadora, se não quiserem atrair atenções indesejadas. Assim, calças compridas, camisas, blusas de manga comprida (ou pelo menos que tapem os ombros) e lenços, são uma boa aposta se estiverem a viajar por conta própria.

Se viajarem num tour organizado, com um grupo grande de ocidentais e se limitarem a visitar os pontos mais turísticos das grandes cidades, podem safar-se com roupa um pouco mais “arejada” como um vestidinho de verão ou tops de alcinhas. Mas atenção que quando visitam os templos ou as mesquitas têm mesmo de se tapar (o cabelo inclusive).

7. Criminalidade/Segurança

Como em qualquer outro lugar do mundo, o bom senso é essencial para evitar situações de risco. Não andem sozinhos à noite, afastem-se de manifestações populares de cariz político, tenham cuidado com carteiristas e mantenham sempre a vossa mochila/bolsa na vossa frente quando estão a andar por ruas muito movimentadas.

Para a rua, se possível, levem só a cópia do passaporte e moeda local (rupias).

Tenham sempre uma cópia digital do vosso passaporte, cartão do cidadão, visto e bilhete de avião no vosso e-mail. Se houver algum problema podem sempre imprimir uma cópia a partir dali. Se estiverem hospedados num hotel que tenha cofre no quarto, guardem o vosso passaporte aí, juntamente com os cartões de débito/crédito. Deixem sempre uma cópia do vosso itinerário de viagem, com nomes e contactos dos lugares onde pretendem hospedar-se, com algum familiar ou amigo (estas últimas dicas são válidas para todos os destinos).

8. Dinheiro

A moeda local é a rupia. Um euro equivale mais ou menos a 76 rupias. Não existem muitas máquinas ATM (multibanco) nas cidades e as que existem muitas vezes não têm dinheiro disponível ou não têm informação em inglês. O melhor é trocar dinheiro assim que chegam no aeroporto.

9. Fotografias

Não se admirem se os locais vos pedirem para tirar uma selfie com eles. A curiosidade deles em relação aos turistas ocidentais é tanta como a nossa em relação a eles.

10. Regatear

Esta actividade é “obrigatória” na Índia. Tudo deve ser regateado!

Índia
créditos: The Travellight World

11. Transporte

Os tuk-tuks são a forma mais rápida e eficiente de transporte nas grandes cidades. Combinem o preço antecipadamente com o condutor. A cidade de Deli tem também uma rede de metro eficiente. O metro tem uma carruagem cor-de-rosa (geralmente a primeira) destinada apenas a mulheres.

Para viajar dentro da Índia a melhor opção é o comboio. A rede ferroviária é boa e cobre todo o país. Os comboios são lentos, com diferentes graus de conforto e os seus horários pouco fiáveis, mas são, a par dos aviões, o meio de transporte mais seguro para se deslocar no país. Podem marcar os bilhetes online no MakeMyTrip ou aqui.

É possível que vos peçam um número de telefone indiano para fazer o registo e o login, nesse caso têm de entrar em contacto com o Serviço de Atendimento a clientes da Indian Railway e enviar uma cópia do passaporte para provar que são estrangeiros e a senha para fazerem o login é depois enviada para o vosso e-mail. Outra opção é adquirir um cartão SIM quando chegarem à Índia e tentar fazer a marcação online já no país.

Quem entra no país com visto eletrónico e voa para um dos 16 principais aeroportos internacionais, tem direito a levantar gratuitamente um cartão SIM BSNL em qualquer balcão da India Tourism Development Corporation dentro do aeroporto. É válido por 30 dias. Os SIMs são carregados com 50 rupias de crédito de chamadas e 50 MB de dados. Durante a estadia podemos adicionar mais crédito e dados, o que se pode fazer em qualquer quiosque ou loja de telemóveis.

12. Papel higiénico

Levem um rolo convosco. As casas de banho públicas indianas raramente têm papel (e quando têm, é pago). Se ficarem num hotel de uma cadeia internacional podem aproveitar o papel higiénico de lá e levar um pouco quando saírem para visitar os monumentos e atracções.

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.