A Airbnb lançou em Portugal a sua Tecnologia de Reservas de Alto Risco para ajudar a combater festas e outros distúrbios para a vizinhança, como parte de um novo compromisso de recuperação do turismo saudável para Portugal, uma série de medidas para apoiar a recuperação das viagens e fomentar um turismo mais sustentável.

Esta tecnologia irá melhorar a capacidade da Airbnb de bloquear tentativas de reservar estadias que possam apresentar um risco elevado de certos tipos de festas perturbadoras, e ajudar a detê-las antes de começarem. Considera uma série de fatores em relação a determinadas reservas, incluindo a data e a duração. Tecnologia semelhante introduzida na Austrália para reduzir as festas não autorizadas impediu mais de 1800 reservas no período de um ano.

A tecnologia de reservas de alto risco segue-se à introdução de outras medidas por parte da Airbnb para fazer face ao comportamento anti-social, incluindo a extensão da proibição global de festas, o destaque da visibilidade das Regras da Casa para os hóspedes, e a contratação de mais staff de Apoio à Comunidade. No ano passado, a Airbnb anunciou várias restrições e medidas piloto para refrear o comportamento anti-social e reduzir as festas não autorizadas nos alojamentos em França, Espanha, Reino Unido, Austrália, EUA e Canadá. Só na Europa, estas iniciativas bloquearam ou redirecionaram as tentativas de reserva de cerca de 375.000 pessoas num ano.

Para apoiar este trabalho, a Airbnb anuncia um novo compromisso de recuperação do turismo saudável para Portugal e compromete-se a trabalhar com as autoridades através das seguintes medidas:

1. Lançar a "linha de apoio à vizinhança” em português antes do final de 2021 - uma linha direta de comunicação para a Airbnb, para comunicar preocupações urgentes sobre alojamentos ou comportamentos de hóspedes na sua comunidade local. A Linha de Apoio à Vizinhança já existe em 29 países e territórios a nível mundial, incluindo França, Espanha, Itália, Reino Unido, Alemanha, Suíça, República Checa e Holanda, entre outros.

2. Cooperar com as Câmaras Municipais de Lisboa e Porto, com programas específicos, tais como a promoção de estadias de longa duração para nómadas digitais ou o fomento de inovações que ajudem a evitar incómodos, como a promoção da tecnologia de deteção de ruído nos alojamentos.

3. Trabalhar com as autoridades portuguesas para lhes dar acesso ao Portal da Cidade. O Portal da Cidade é uma ferramenta exclusiva da Airbnb que fornece um balcão único aos governos com informações e ferramentas de dados para os ajudar a desenvolver e gerir políticas e regulamentos justos de aluguer a curto prazo. Mais de 100 governos e organizações em todo o mundo têm agora acesso ao Portal da Cidade, incluindo o Reino Unido (regiões como Brighton, Cornualha, Devon, Cumbria e País de Gales), França (região de Paris) e Dinamarca, para citar apenas alguns na Europa.

Estes compromissos surgem quando novos dados de sondagens sugerem que quase 8 em cada 10 cidadãos de Lisboa acreditam que as viagens e o turismo têm um impacto positivo na cidade, e uma maioria acredita que a cidade sofreu sem turistas durante a pandemia. Os mesmos dados de sondagens mostram que quase 70% dos residentes de uma cidade como Lisboa apoiam a ideia de permitir aos residentes alugar as suas casas através da Airbnb.

Fonte: Airbnb

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.