Carlos Bernardes referiu à agência Lusa que estima que a capacidade instalada aumente em 10%.

Questionado sobre o investimento, o autarca não soube quantificar, mas afirmou ser de “alguns milhões de euros”.

“É importante qualificar e potenciar a oferta, porque Torres Vedras tem essa carência, e que a cidade aumente a capacidade de alojamento para dinamizar a economia”, sublinhou o presidente da Câmara de Torres Vedras, no distrito de Lisboa.

A informação prévia para um projeto hoteleiro junto ao Jardim do Choupal deu já entrada na câmara, prevendo 90 camas.

Um outro projeto junto ao centro comercial Arena Shopping, com capacidade para 40 camas, deverá entrar em breve na câmara.

No centro histórico da cidade, a autarquia já aprovou o projeto de uma unidade para junto ao Chafariz dos Canos, com capacidade para 18 camas, e já licenciou outra, com 20 camas, para perto do parque de estacionamento de Santiago.

O município quer concessionar a privados dois imóveis que adquiriu para transformá-los em unidades hoteleiras ligadas ao enoturismo.

Um deles é o edifício do antigo Instituto da Vinha e do Vinho e o outro um antigo centro comercial que existiu no centro histórico da cidade, com capacidade para 48 e 12 camas, respetivamente, de acordo com as estimativas da câmara.

A autarquia está também em negociações com a empresa Infraestruturas de Portugal para que possa nascer um hotel com 140 camas no antigo bairro da CP, junto à linha de caminho-de-ferro, no lado oposto ao da estação de comboios.

Dados da autarquia apontam para a existência de 3.552 camas turísticas no concelho, das quais 2.548 pertencem aos hotéis existentes e 1.004 são em alojamento local.

Na mais recente reunião pública, o executivo municipal decidiu criar uma equipa para elaborar o Plano Estratégico para a Oferta Hoteleira, até ao final do ano.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.