Sem grandes distrações na rua (sem carros e peões), com o telemóvel quase sem rede, chegámos ao Solar dos Cáceres. Apesar de existir há vários séculos, é hoje um edifício moderno que vive em harmonia com o meio envolvente.

O Solar dos Cáceres parece-nos o lugar certo para descansar após uma longa viagem de automóvel e de uma semana de “stress" no meio urbano. Tem um ambiente familiar e é convidativo. Para os dias mais frios, logo no lobby, há uma lareira acesa à nossa espera. Não só dá vontade de ir aquecer as mãos, como também de passar um serão com amigos. Este é um lugar sossegado, que nos faz sentir em casa e nos permite relaxar.

O solar tem apenas oito quartos (cinco duplos e três duplos twin) e, embora cada qual com as suas particularidades, todos têm uma decoração requintada e atual.

O quarto onde fiquei, o número cinco, surpreendeu-me. É um quarto simples, sem muitos objetos, dando-lhe o ar de ser bastante amplo. Para além das cores utilizadas (tons bege e castanho) conferirem elegância ao quarto, casaram na perfeição com a parede rústica, que nos lembra que estamos num espaço rural.

Seria fácil esquecer que estamos numa casa senhorial do século XV, olhando apenas para o quarto: os armários e a cama são modernos, tem WI-FI, televisão e ar condicionado. A casa de banho também é sofisticada, bastante atual e com o essencial: um bom chuveiro, amenities e secador.

Os quartos armazenam bem o calor, por isso, não façam como eu e desliguem, mal entrem no quarto, o ar condicionado. Caso contrário podem ter de se levantar durante a noite para o desligar…

Esta recomendação é dada logo no momento do check-in, pois, antes dos hóspedes chegarem, o staff  liga o ar condicionado dos quartos reservados para que estejam quentes assim que entrarmos neles. Mas, às vezes, achamos que, se calhar, vamos sentir frio se desligarmos o ar condicionado e o mantemo-lo ligado. Mas não, o quarto mantém-se quente a noite toda.

Mandado construir em 1481 com a contígua capela de Nossa Senhora da Encarnação pelo fidalgo Luís de Cáceres, o Solar dos Cáceres pertenceu, nos séculos seguintes, a outros elementos da nobreza com ligações à Casa Real, tendo chegado a ter mais de 200 terrenos sob o seu domínio.

O Solar dos Cáceres abriu originalmente como unidade hoteleira em 2013, contudo, a experiência durou pouco mais de um ano e meio. É em 2015, após obras de requalificação intensivas, que se deu a grande virada no Solar dos Cáceres, hoje unidade de turismo em espaço rural.

Antes da renovação, o edifício principal encontrava-se em ruínas. Apenas a fachada principal se conservava em pé. Atualmente, este edifício engloba um módulo moderno e uma extensa área de espaços verdes, plantas e árvores. Pode-se ver na parede do corredor de acesso aos quartos do hotel um conjunto de fotos que ilustram o estado em que o Solar se encontrava.

O hotel ainda conta com uma piscina exterior para os dias mais quentes, parque de estacionamento e aluguer de bicicletas gratuitos para que possamos explorar as redondezas sentindo os cheiros campestres, sempre em contacto com a natureza e de uma forma mais saudável e amiga do ambiente.

O Solar dos Cáceres disponibiliza ainda programas de atividade e lazer que variam nas diferentes estações do ano. Entre Viseu e Guarda (cerca de 40 quilómetros pela A25 em cada direção), o Solar dos Cáceres pode ser um bom lugar para ficar para quem procura explorar esta região. A partir do hotel e um pouco mais próximo que estas duas cidades (cerca de 25 quilómetros), também estão duas aldeias históricas que merecem uma visita: Trancoso e Linhares da Beira. A Serra da Estrela também é já ali. Em Fornos de Algodres, existe um vasto património histórico e arqueológico à espera de ser explorado e muitas iguarias para provar como o cabrito, os enchidos, os queijos, o arroz doce e o leite creme.

Brunch regional: o mais caseiro possível

Porque nem sempre nos apetece sair do lugar onde já estamos confortáveis, - especialmente nos dias frios - o Solar dos Cáceres decidiu apostar num novo conceito, o brunch regional, para complementar a oferta da região, que tem poucos restaurantes, e para que o hóspede não tenha de sair do espaço.

Este brunch diferencia-se dos tradicionais devido ao horário, que é a partir das 19 horas. Contrariamente aos tradicionais, que combinam o pequeno-almoço com o almoço, o brunch regional é uma espécie de lanche ajantarado.

A ementa do brunch regional varia consoante a época e apresenta um pouco do que a região oferece. Entre as várias possibilidades, poderá deliciar-se com um caldo verde, cebolas com mel, alheira de urtiga, pão da beira com chouriço, ovos verdes, broa de alho e coentros, peixinhos da horta, entre tantos outros sabores deliciosos. Claro que não faltará a tábua de queijos, enchidos ou o pão regional. Para os mais gulosos, há arroz doce, leite creme, pudim, pastéis de nata e bolo caseiro, por exemplo.

No Solar dos Cáceres quase tudo é "home made", a intenção é que tudo seja o mais caseiro possível.

Para preservar a privacidade, o brunch regional é exclusivo para os hóspedes do hotel.

Para já, deverá estar disponível apenas uma vez por semana.

O SAPO Viagens esteve alojado a convite do Solar dos Cáceres


Informações:

Morada:
Solar dos Cáceres, Turismo Rural

Praça Dr. Carlos Figueiredo Nunes – Casal Vasco

6370-021 Fornos de Algodres

T.+351 271 708 225 / 226

www.solardoscaceres.com / info@solardoscaceres.com

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.