Como se não bastassem o cenário digno de um verdadeiro retrato campestre e os encantos naturais cercados pela vegetação do interior, a Serra da Gardunha constitui um local de referência para rotas repletas de histórias. Ao todo, são 250 km quilómetros sinalizados, e um trajeto que apresenta novidades a cada contorno.

Na zona protegida da Gardunha, na Beira Baixa, não faltam florestas, riqueza geológica, cerejais com frutos em abundância, além de rebanhos e aves que formam a fauna da região. Aos entusiastas do desporto e do turismo rural, os percursos que apresentam as maravilhas da natureza podem ser feitos com a devida preparação (chapéus, garrafas de água, sapatilhas e vestimentas confortáveis, além de alimentos leves, como frutas ou barras de cereais, são essenciais).

Dentre tantos caminhos e opções que podem ser consideradas neste Verão, há uma em particular que capta a atenção dos mais curiosos: o Caminho do Anjo da Guarda, percurso circular que começa e termina nas Casas de Alpedrinha. O caminhante, assim, passa pela Vila e pela Serra, em um trajeto de aproximadamente 6 quilómetros e dificuldade entre fácil e moderada. Pode-se optar por fazer o trajeto de ida e volta apenas até a Vila de Alpedrinha, com visita aos pontos de interesse ou o trajeto circular, em que há a subida específica até a Serra da Gardunha.

Caminho do Anjo da Guarda
Caminho do Anjo da Guarda créditos: DR

Mas, para garantir a segurança dos turistas e dos moradores da região que têm interesse em traçar esse itinerário, é possível contar com a presença de um guia, contratado atempadamente junto ao Posto de Turismo do Fundão. Ainda assim, vale dizer: a orientação da via pedestre é facilitada, portanto, não há dificuldade na execução do percurso.

A oportunidade de conhecer as tradições e todos os pontos de visitação da Vila de Alpedrinha é apenas uma das vantagens propiciadas aos que decidem trilhar o Caminho do Anjo da Guarda. Alpedrinha é uma terra conhecida por seus solares ancestrais, de arquitetura ímpar, e por suas belas fontes, onde correm as águas cristalinas da Gardunha (como exemplo, há o monumental chafariz de D. João V).

Construções autênticas e edifícios históricos, caminhos romanos, mistérios, lendas e até a passagem das tropas de Napoleão pela Vila, fazem da caminhada pelas ruas estreitas uma viagem no tempo, em uma espécie de museu a céu aberto. Pouco mais de 1.000 habitantes povoam uma área de 18,22 quilómetros quadrados, o que torna a visita à Vila ainda mais intimista.

Deixe-se guiar pelo Caminho do Anjo da Guarda e conheça, por meio das Casas de Alpedrinha, mais um recanto deslumbrante no coração da Beira Baixa, no interior de Portugal.

Fonte: Casas de Alpedrinha

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.