Foi sede de concelho e a história é recordada no Largo da Praça com a antiga Casa da Câmara e o pelourinho que é do século XVI.

Com o novo traçado das fronteiras com Espanha teve também uma fortificação que se confrontava em linha de vista com o castelo de Peñafiel que está no monte do outro lado. A fronteira é o rio Erges que passa no vale.

Em tempo de paz, a fortaleza foi perdendo utilidade e as pedras do castelo e das muralhas de Salvaterra foram aproveitadas para casas e muros.

Salvaterra do Extremo
Igreja em Salvaterra do Extremo créditos: andarilho.pt

Do lado espanhol a situação também não foi muito diferente. O castelo de Peñafiel ficou em ruínas.

Salvaterra do Extremo
Castelo de Peñafiel créditos: andarilho.pt

Os dois lados da fronteira estreitaram as relações e Zarza la Mayor, que está a cerca de 4km, é a povoação mais próxima de Salvaterra.

O contrabando ajudou a aproximar as duas comunidades e também a travar a sangria da emigração nestas terras da raia porque as famílias conseguiam algum rendimento.

Salvaterra do Extremo
Açude no rio Erges créditos: andarilho.pt

Nos últimos anos, a passagem entre os dois lados da fronteira ficou facilitada com a construção de um açude no rio Erges. Para a população de Salvaterra do Extremo é o caminho preferido para o comércio, em particular dos combustíveis. Os jovens também preferem a noite de Espanha.

Salvaterra do Extremo
créditos: andarilho.pt

Conforme nos referiu Paulo Lopes, presidente da União de Freguesias de Monfortinho e Salvaterra do Extremo, continuam a procurar intensificar as relações e fortalecer o convívio. Todos os anos organizam conjuntamente uma festa.

Salvaterra do Extremo
Zarza la Mayor créditos: andarilho.pt

No primeiro domingo de maio juntam-se pessoas dos dois lados da fronteira. Uns dão o comer, os outros dão o beber. No ano seguinte é ao contrário.

Bodos de Salvaterra do Extremo e Monfortinho
Panelas de ferro do Bodo em Salvaterra do Extremo © Carlos Rascão créditos: andarilho.pt

Fazem ainda caminhadas, como por exemplo a rota do contrabando. Em alguns momentos desenvolvem iniciativas conjuntas especiais como foi a Orquestra Barroca que estagiou em Salvaterra e deu um concerto na bonita catedral de Zarza la Mayor.

Outra iniciativa conjunta bem interessante para os locais e para os visitantes é a praia fluvial.

Salvaterra do Extremo
Rio Erges e a praia fluvial créditos: andarilho.pt

O Erges que antes era disputado como fronteira faculta agora uma bonita praia. A construção é conjunta. Começou com o açude e a sinergia das duas freguesias permitiu criar um espaço agradável e com estruturas de apoio nos dois lados da fronteira.

No lado português há ainda vários trilhos do Parque Natural Naturtejo, como a “Rota dos Abutres” e os Canhões Fluviais do Rio Erges. Andar no campo é sentir o cheiro do rosmaninho e das giestas.

Salvaterra do Extremo
créditos: andarilho.pt

Na freguesia de Salvaterra do Extremo fica também o ponto mais alto do Naturtejo, próximo da Horta das Almas. Há ainda um local de observação de aves. Costumam andar por aqui algumas espécies que estão em risco de extinção.

A povoação é muito pacata. Sente-se o que significa o nome Extremo. Uma placa assinala a “inauguração da água em Salvaterra do Extremo em 1984”.

Salvaterra do Extremo
créditos: andarilho.pt

Há ainda muitas casas de pedra e o património melhor preservado é o religioso.

Vale a pena ir ao miradouro. Temos uma visão mais completa do vale do Erges e do lado espanhol com o fantasma do castelo de Peñafiel a lembrar outras ambições.

A cultura e o património natural são evocados no Festival Salva a Terra, uma organização da Quercus – ANCN que serve para financiar o CERAS Centro de Estudos e Recuperação de Animais Selvagens. O festival alterna com o Boom que estava agendado para este ano mas foi de novo adiado por causa da pandemia.

Salvaterra do Extremo
A Lontra de BordaloII créditos: andarilho.pt

Após uma edição do Festival Salva a Terra ficou a instalação de Bordalo II, “A Lontra”.

Salvaterra do Extremo e la Mayor faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.