Violante, uma das paixões de Camões, era loura e o seu retrato está num quadro na capela da Santa Casa da Misericórdia de Algodres.

Violante em Algodres
Violante Andrade créditos: Andarilho.pt

Violante Andrade era uma falsa loura como na altura era moda na corte. Segundo a interpretação de José Hermano Saraiva, podemos conhecer a ama e a amada de Camões numa pintura que hoje se encontra ao lado do altar-mor da capela da Misericórdia.

Violante em Algodres
O quadro ao lado do altar-mor créditos: Andarilho.pt

Violante e o marido, D. Francisco, estão ajoelhados e nota-se a cabeleira loura da mulher que enfeitiçou Camões desde a sua juventude em Coimbra. Nota-se ainda uma tez fina e mãos com dedos compridos. O olhar é sereno e as roupas são decoradas sem grande ostentação.

O quadro é um tríptico do século XVI, foi restaurado e estava num compartimento ao lado da nave central, em cima de um armário, conforme me referiu a senhora que teve a cortesia de me abrir a porta da capela.

Violante em Algodres
O quadro estava neste compartimento da igreja antes de ser restaurado créditos: Andarilho.pt

Num outro lugar da aldeia, em conversa com alguns habitantes, fiquei com a ideia de que Violante e a pintura não têm grande notoriedade em Algodres, apesar dos elogios à beleza do templo.

Violante em Algodres
O quadro ao lado do altar-mor créditos: Andarilho.pt

As referências dos populares eram os da Via Sacra que estão pendurados nas paredes da capela. Sabiam apenas que as pinturas tinham sido recuperadas. No entanto, a senhora que abriu a porta identificou de imediato o quadro quando lhe falei da amada de Camões.

Violante em Algodres
Exterior da igreja da Santa Casa da Misericórdia de Algodres créditos: Andarilho.pt

O templo é muito bonito. Tem teto em madeira e também foi restaurado recentemente. A capela tem o altar-mor muito decorado, com várias figuras.

Violante em Algodres
créditos: Andarilho.pt

O trabalho em talha dourada é minucioso e encimado com o escudo nacional. Jesus Cristo está representado em duas figuras à escala humana. O Senhor dos Passos e Cristo deitado num compartimento fechado mesmo abaixo do altar-mor. Quando visitei a capela já não estava o Senhor da Cana que, segundo uma habitante de Algodres, estava junto à porta e quando era garota assustava-se “porque parecia um homem”. Agora tiraram-no.

A capela está ao lado da igreja Matriz e terá sido construída no século XVIII. A Misericórdia de Algodres é muito anterior. Foi constituída em 1621 numa altura em que Algodres era concelho. Um estatuto que se prolongou até ao inicio do século XIX.

Violante em Algodres
Pelourinho e igreja Matriz na praça central de Algodres créditos: Andarilho.pt

Algodres terá tido um castelo mas não se sabe bem a sua localização. Admite-se que tenha sido no lugar onde está a capela da Misericórdia e até as pedras da fortaleza tenham sido aproveitadas para a sua construção.

Violante em Algodres
Algodres tem um centro histórico grande com casas tradicionais créditos: Andarilho.pt

Algodres era propriedade do conde Linhares a que pertencia a família de Violante. A igreja da Santa Casa da Misericórdia de Algodres está classificada como Imóvel de Interesse Público.

Violante em Algodres
créditos: Andarilho.pt

O retrato da apaixonada de Camões faz parte do programa da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.