É um desvario de imaginação as grutas de Santo António e, por isso, são muito diferentes das outras que existem nas Serras de Aire e Candeeiros.

A natureza concentrou aqui a inspiração. Também teve tempo para isso.

Foram 105 milhões de anos, quando da queda de um meteorito que deu origem ao actual “canhão da Nazaré” e originou alterações na geomorfologia e à criação da gruta.
O resto, a “decoração”, foi o tempo, a água e os sais minerais. Gota a gota...

Grutas de Santo António
Formações no interior da sala créditos: Who Trips

A água das chuvas cria ainda pequenas lagoas e riachos e um ambiente de relaxe e de grande inquietação caso alguém apague as luzes porque fica tudo na mais profunda penumbra.

A única entrada de ar e de luz é no cimo de um algar de dezenas de metros. Vê-se quando entramos nas grutas. Foi aqui que, em 1955, uma criança seguia uma ave que se refugiou no “poço”. A criança deparou com a abertura e chamou o pai.

Grutas de Santo António
Algumas estalactites quase que se completam créditos: Who Trips

Foi o início da descoberta de um longo segredo em que o seu “tesouro” é uma sala de 4 mil metros quadrados, a maior sala de uma gruta visitável em Portugal. É um espaço enorme, repleto de muitas formações.

Grutas de Santo António
Grutas de Santo António créditos: Who Trips

O ponto mais alto da sala está a 43 metros do solo.
António Conceição, um dos guias da gruta, refere que as pessoas, quando começam a subir a escadaria e vislumbram a sala, manifestam o seu espanto por um lugar tão amplo e diversificado em formações.
O percurso é circular e permite ver de várias perspectivas o espaço e os vários elementos no solo ou suspensos no teto. Poucas completaram a ligação. Muitas têm num dos extremos um pingo de água, seguindo um percurso natural, sem qualquer intervenção externa. Apenas numa parte, a deslocação de ar faz deslizar as gotas de água no topo de uma enorme estalagmite.

Grutas de Santo António
Percurso circular na sala créditos: Who Trips

Nesta zona a temperatura, em todo o ano, oscila entre os 16 e os 18 graus.
A gruta tem ao todo 6.000 m2. É visitável um corredor e duas salas e a profundidade é de 100 metros.

As grutas de Santo António ficam próximas das Grutas de Alvados, no concelho de Porto de Mós.

Grutas de Santo António: alguém andou aqui a brincar faz parte do podcast semanal da Antena1, Vou Ali e Já Venho, e pode ouvir aqui. A emissão deste episódio, Grutas de Santo António: alguém andou aqui a brincar, pode ouvir aqui.

O Vou Ali e Já Venho tem o apoio:

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.