Corria o ano de 1872, quando começaram a circular na cidade do Porto os chamados Carros Americanos, que consistiam em carruagens rebocadas por animais. A Invicta tornou-se assim a primeira cidade portuguesa a ter os carros americanos, que circulavam sobre carris. Em  1895, a linha entre o Carmo e a Arrábida é electrificada, tornando-se o Porto a primeira cidade da Península Ibérica a ter carros elétricos. Atualmente, os carros elétricos são um símbolo da cidade e levam a sua história além fronteiras. Um dos carros elétricos do Porto, de 1929, está em São Francisco, EUA, na Market Street Railwal.

No Museu do Carro Eléctrico, no Porto, é possível fazer uma viagem no tempo através de 23 veículos que marcaram a história da cidade. A viagem começa com o Carro Americano, puxado por animais, da década de 1870, retratando toda a evolução existente ao longo dos anos, até 1950. Cada um dos carros expostos tem a sua própria história: uns apenas circulavam no verão, os"fumistas" eram especialmente concebidos para que fosse possível fumar à janela, outros faziam serviço de distribuição do correio e um deles caiu ao rio Douro, tendo sido, depois, recuperado e exposto.

O edifício que alberga o Museu do Carro Elétrico tem, ele próprio, a sua própria história para contar, já que se trata da antiga Central Termoelétrica de Massarelos, a qual produzia a energia que alimentava toda a rede de carros elétricos do Porto. Além da nave onde estão expostos os carros elétricos, é possível visitar a sala das máquinas, onde, além das máquinas necessárias à produção de energia, é possível ver vários objetos que eram usados no dia-a-dia dos funcionários.

Os Elétricos estão longe de se tornarem apenas peças de museu. Atualmente, há de 6 a 8 carros a circular diariamente ao longo de toda a zona histórica, distribuídos por 3 linhas distintas (1,18 e 22). A Linha 1, ou Linha da Marginal, faz o percurso entre o centro histórico do Porto e o Jardim do Passeio Alegre num trajeto único pelas margens do rio Douro. Linha 18, conhecida como Linha da Restauração, faz o percurso entre Massarelos e o Carmo, da zona histórica da freguesia de Massarelos ao Jardim da Cordoaria. A Linha 22 - Linha da Baixa - percorre as artérias mais emblemáticas do centro da cidade, num percurso circular entre o Carmo e a Batalha/Guindais.

O custo de um bilhete de Elétrico é de 3,50 euros. Quem tiver assinatura STCP ou assinatura Andante pode utilizar os Elétricos diariamente e fazer uma viagem a bordo de um dos símbolos mais bonitos da cidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.