Em todas as viagens, para além de sítios bonitos, edifícios monumentais, paisagens magníficas e pessoas que nos marcam, acabamos por nos descobrir melhor a nós mesmos. Também é isso que nos faz gostar tanto de viajar. Porque, para nós, o sair da zona de conforto está ligado àquilo que é a viagem.

Desta vez viemos de bicicleta, sem grande preparação e isso pôs-nos à prova! Não negamos o cansaço nem alguns momentos de menor motivação provocados por subidas íngremes ou pelo calor abrasador que se tem vindo a sentir nos últimos dias. Mas queremos atingir certos limites absorvendo tudo o que isso implica, e é isso que nos faz continuar a andar. É assim que aprendemos quem somos.

Sempre que um trajeto é mais difícil de pedalar acabamos por ser surpreendidos, o que faz todo o esforço ser recompensado. E a nossa passagem pela Região Centro de Portugal foi um leque de lugares sublimes!

Partida de Lamego pela EN2
Partida de Lamego pela EN2 créditos: Mais pra lá

Deixámos Lamego e, seguindo a estrada mais percorrida por viajantes este ano (claro que falamos da N2), fomos até Castro Daire. Uma passagem rápida a caminho de S. Pedro do Sul onde águas termais brotam do solo a 68º e que são exploradas desde há 2000 anos para fins curativos e de bem-estar.

Igreja da Misericórdia de Viseu
Igreja da Misericórdia de Viseu créditos: Mais pra lá

Deixando S. Pedro do Sul para trás, rumámos em direção a Viseu. Capital de distrito, cidade de Viriato e possivelmente a terra berço de D. Afonso Henriques, tem tanto de história como de atitude urbana. Com ruas e ruelas onde as paredes decoradas com street art contrastam com as janelas Manuelinas que vão aparecendo aqui e ali, Viseu passou para a lista das nossas cidades preferidas em Portugal e qualquer um que a visite vai encontrar alguma coisa que o fascine: seja a Sé, o funicular que o leva até ela, a antiga judiaria com as suas ruas carismáticas ou os fragmentos de muralhas romanas.

Antiga locomotiva na Ecopista do Dão
Antiga locomotiva na Ecopista do Dão créditos: Mais pra lá

Com origem na linha de caminho-de-ferro do Dão, estendendo-se ao longo de 50 quilómetros num fascinante percurso onde ainda se podem encontrar vários elementos do património ferroviário, a Ecopista do Dão indicou-nos o caminho até Santa Comba. De lá seguimos diretamente para a praia fluvial da Cascalheira em Arganil onde acabámos por pernoitar.

Praia fluvial da Peneda, em Góis
Praia fluvial da Peneda, em Góis créditos: Mais pra lá

Ali perto encontrámos um local que nos encantou pela sua beleza e tranquilidade. Estamos a falar de Góis! A praia fluvial da Peneda bem no centro da vila quase não nos deixou seguir o nosso caminho. Passem por lá! Esta praia fluvial nas margens do Rio Ceira é ótima para uns banhos refrescantes depois de um dia em passeio, por exemplo por Piódão e Foz d’Égua na zona de Arganil.

E claro que temos de falar das Aldeias do Xisto! São 27 estas carismáticas aldeias espalhadas pela Região Centro, às quais nós já andávamos a adiar a visita há tempo demais. Agora não tínhamos como deixar passar! Ficámos até alojados numa acolhedora casa de xisto, a Casa da Pena, situada na aldeia com o mesmo nome de onde saem alguns trilhos que levam a outras aldeias na Serra da Lousã.

Não podem mesmo perder esta zona do país! As aldeias são lindas mas, para além delas, vão encontrar muito mais. Desde praias fluviais a percursos pedestres e património natural, monumentos a arte rupestre… É uma infinidade de lugares fantásticos que vais poder descobrir entre a Serra do Açor e zona de Tejo-Ocreza.

A nossa volta a bicicleta segue rumo a sudeste, onde, quase por acaso, fomos ter a Vila Velha de Ródão. Não tínhamos ouvido falar deste município até há bem pouco tempo e acabou por nos despertar curiosidade. Ali ao pé, no limite entre a Beira Baixa e o Alto Alentejo situam-se as Portas de Ródão: um monumento geológico com cerca de 3 milhões de anos que foi provocado pela erosão da água. Num passeio de barco no Rio Tejo, tivemos oportunidade de passar pelas duas paredes escarpadas que em tempo era uma só e que hoje é o habitat de águias, grifos, abutres, cegonhas pretas e outros tipos de avifauna que não são raros por ali. Vila Velha de Ródão foi uma bela surpresa no nosso percurso!

Passeio de barco no Rio Tejo passando as Portas de Ródão
Passeio de barco no Rio Tejo passando as Portas de Ródão créditos: Mais pra lá

Passando a ponte em frente à vila, surge uma nova região: diferentes paisagens, muitas maravilhas para serem exploradas e novos desafios.

Dicas:

  • Em Castro Daire, paragem obrigatória para quem percorre a Estrada Nacional 2, recomendamos a visita à praia fluvial da Folgosa e a estadia na Casa de Charme Isabel do Couto.
  • Não deves perder a oportunidade de percorrer a Ecopista do Dão. Com os serviços de aluguer de bicicleta em Viseu, vais encontrar facilmente forma de a fazer. Durante o percurso, quase plano, vais encontrar túneis, pontes, antigas estações e até uma velha locomotiva, para além de uma envolvência natural com paisagens inesperadas.
  • Para ficares alojado em Viseu recomendamos o Allgo Hostel, bem perto da Sé e dos principais locais de interesse do centro histórico.
  • Não é demais relembrar a visita à praia fluvial da Peneda em Góis, além de recomendarmos também a praia fluvial da Cascalheira bem perto de Arganil.
Piscina fluvial de Foz d'Égua
Piscina fluvial de Foz d'Égua Mais pra lá
  • Sugerimos combinar uma visita às praias mencionadas na dica anterior com uma ida à Aldeia de Piódão, à cascata de Fraga da Pena (ideal para um piquenique) e a Foz d’Égua.
  • Na Serra da Lousã existem várias das Aldeias do Xisto. Não visitámos todas mas sugerimos vivamente Pena, Talasnal e Casal Novo!
Vista para a Aldeia do Talasnal
Vista para a Aldeia do Talasnal créditos: Mais pra lá
  • Também na Serra da Lousã podem encontrar o Baloiço de Trevim, onde encontrarão uma vista privilegiado sobre a serra e onde a fotografia não vai faltar!
  • Numa visita a Vila Velha de Ródão não podem perder a visita ao Castelo do Rei Vamba, assim como a vista do seu miradouro.
  • Também recomendamos a estadia na Vila Portuguesa assim como os seus passeios de barco no Rio Tejo que te levarão a passar pelas Portas de Ródão.

Podem acompanhar-nos dia-a-dia ao longo desta viagem de bicicleta por Portugal em facebook.com/maisprala e instagram.com/maisprala.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.