Ainda nas palavras da autora de As Estações da Vida, a “Gare de São Bento causa uma impressão grandiosa como nenhuma outra em Portugal”.

Os turistas quando visitam a cidade vão de propósito à estação partilhar esta impressão de grandiosidade. Em particular, o deslumbramento com os painéis com mais de 22 mil azulejos que cobrem uma área superior a 500 metros quadrados.

Estação de S. Bento
créditos: andarilho.pt

Os azulejos são da autoria de Jorge Colaço e Paula Azevedo, arquitecta da Unidade de Património Histórico e Cultural da IP Património, diz que “é um magnifico exemplo de como adaptar uma obra de arte à arquitectura.

Estação de S. Bento
créditos: andarilho.pt

A Estação de S. Bento foi inaugurada em 1916 após a circulação ferroviária na Ponte D. Maria mas os comboios chegaram muito antes ao interior do Porto, onde estava o convento de S. Bento de Avé Maria.

O edifício estava parcialmente em ruínas e foi demolido para dar lugar à estação.

Estação de S. Bento
créditos: andarilho.pt

Um edifício imponente e de estilo neoclássico. O arquitecto José Marques da Silva, natural do Porto mas a estudar em Paris, foi quem ganhou o concurso.

Jorge Colaço, pintor e ceramista, também teve forte influencia francesa e os azulejos contam vários episódios da história de Portugal.

Estação de S. Bento
créditos: andarilho.pt

As cores são muito claras. Diz Agustina Bessa-Luís que são magníficos, “dum azul de Delf verdadeiramente luminoso e profundo” e salienta também que alguns painéis de azulejos, “são quadros duma genial composição que referem os trabalhos populares. (...)

Estação de S. Bento
créditos: andarilho.pt

Os azulejos contam toda uma poesia que não é épica, é o viver de todos os dia, é um sermão sem sotaina, é um contrato social sem filosofia.”

Estação de S. Bento
créditos: andarilho.pt

A monumentalidade do edifício e o fascínio do vestíbulo de passageiros repleto de azulejos nas paredes ofuscam o cais de embarque com a cobertura metálica. É um lugar apertado.

Estação de S. Bento
créditos: andarilho.pt

Antes, com o fumo das locomotivas, escreve Agustina “o comboio chegado a S. Bento, parecia deixar os pulmões na linha; um fumo branco como espuma inundava o cais.” Agora não, é suave a luz natural até à boca do túnel que faz a ligação a Campanha.

Estação de S. Bento
créditos: andarilho.pt

Agustina Bessa-Luís: a gare de S. Bento, no Porto, é “a mais bela” em Portugal faz parte do programa da Antena1 Vou Ali e Já Venho, e a emissão deste episódio pode ouvir aqui.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.