Foto: Ricardo Resende@Unsplash

Para uma fã de arte urbana como eu, visitar uma cidade como Águeda é como descobrir uma maravilhosa galeria de arte de entrada gratuita, onde é possível encontrar obras de artistas como Mário Belém, TheCaver, Bordalo II, Godmess e Millo, e muitos outros.

As instalações artísticas e murais sucedem-se pelas ruas, decorando paredes, varandas, degraus e até os céus da cidade, dando vida e enchendo de juventude toda a localidade. O Umbrella Sky Project, criado pelo Agit'Águeda, faz um trabalho tão bonito que já levou os guarda-chuvas coloridos de Águeda aos quatro cantos do mundo transformando-os num verdadeiro cartão postal da cidade.

Cada instalação é mais bonita do que a outra: Os chapéus, as andorinhas, os bancos de rua, os postes de luz…

Veja na fotogaleria:

Mas Águeda tem pontos de interesse que vão muito para além da arte urbana e que merecem uma visita mais demorada e mais tranquila à cidade e seus arredores. Tem um património arquitetónico maravilhoso, um interessante espólio ferroviário e dispõe de vários espaços museológicos dedicados às mais diversas temáticas e vivências que retratam as tradições de outrora, a cultura e os saberes das gentes daquela terra.

Um bom exemplo disto é o Centro Interpretativo da Aldeia do Milho Antigo, localizado em Macieira de Alcôba. Macieira de Alcôba é uma das aldeias mais características do concelho de Águeda e da Serra do Caramulo. É rica em património arquitetónico e natural, tradições culturais, etnografia e beleza paisagística. Com a sua rede de percursos pedestres (PR3 – trilho da aldeia e PR 4 – trilho das terras de granito), é o espaço perfeito para atividades ao ar livre.

Na Aldeia Pedagógica do Milho Antigo foi recriada uma antiga loja típica e foram recuperadas algumas estruturas e alguns engenhos locais associados à cultura do milho, como moinhos e a moinhola da aldeia, que permitem melhor interpretar as antigas técnicas de moagem de cereais, nomeadamente o milho antigo que foi em tempos essencial na atividade agrícola e no tecido económico da zona serrana em que se insere Macieira de Alcôba.

Quem aprecia os passeios na natureza não pode igualmente dispensar uma visita à Pateira de Fermentelos, o maior lago de água doce da Península Ibérica, que fica a poucos minutos da cidade.

Pateira de Fermentelos
créditos: C.M de Águeda

Outra paragem a considerar numa visita a Águeda é no Museu Ferroviário de Macinhata do Vouga, que reúne um importante espólio das companhias ferroviárias Nacional e Vale do Vouga. Foi fundado em 1981 e situa-se na segunda estação do Ramal de Sernada a Aveiro (do Vale do Vouga).

Museu Ferroviário de Macinhata do Vouga
créditos: C.M de Águeda

Águeda integra ainda a Região Demarcada da Bairrada que se estende por 108.000 hectares, dos quais cerca de 12.000 hectares são de vinha. Além das provas de vinhos e espumantes, há outras atividades que podem enriquecer a experiência, nomeadamente a visita às caves, a aprendizagem dos métodos de produção, a participação na vindima, entre tantas outras atividades.

Para inspiração e ideias para férias e fins de semana sigam as minhas stories no Instagram.

Artigo originalmente publicado no blogue The Travellight World

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.