A máscara de Daniel Wiener não esconde a satisfação de fazer parte do primeiro grupo de turistas autorizado a desembarcar nas ensolaradas Ilhas Baleares nesta segunda-feira, mesmo uma semana antes da reabertura das fronteiras espanholas.

"Sabemos que é um privilégio estar aqui", diz, com uma cerveja na mão, este homem de 46 anos à beira da piscina de seu hotel em Palma, capital de Maiorca.

Esta ilha, a maior deste arquipélago mediterrâneo, é um resort de verão especialmente amado pelos alemães, a ponto de ser conhecida como a décima sétima região da Alemanha.

Em 2019, cerca de 4,5 milhões de alemães visitaram-na. Alguns até protestaram contra as autoridades espanholas em abril, quando foram privados de aproveitar as residências secundárias nas Ilhas Baleares devido ao confinamento e encerramento de fronteiras decretadas por Madrid.

A poucos passos do hotel RIU Concordia, onde funcionários de máscara aguardavam os primeiros visitantes na manhã desta segunda-feira, há vários restaurantes de "Deutsche Küche" (culinária alemã), com empregados de mesa que falam esse idioma. Até as instruções de banho na praia estão escritas em alemão.

O
Turistas alemães no hotel RIU Concordia em Palma de Maiorca créditos: AFP

Juntamente com Daniel Wiener, 180 compatriotas saíram de Düsseldorf ao amanhecer para aterrar pouco antes das 11 horas em Palma, como parte de um programa piloto de retoma do turismo, acordado entre o governo regional das Baleares e operadores turísticos.

"Estamos muito, muito felizes por estar aqui. Adoramos Maiorca, vimos várias vezes por ano", diz George Kasbach, que veio de Colónia e é dono de um apartamento na ilha.

Embora Espanha seja um dos países mais afetados pela pandemia, com mais de 27.000 mortes, este homem afirma sentir-se seguro ali.

"Observamos o número de pessoas doentes (de COVID-19) em Maiorca e atualmente há muito poucas", argumenta.

No total, quase 11.000 alemães poderão visitar o arquipélago neste projeto piloto, 1.500 deles antes da abertura das fronteiras espanholas a 21 de junho.

Esse dia também encerrará o processo progressivo de desconfinamento lançado em maio e a liberdade de circulação dentro do país será restaurada para os mesmos espanhóis que, até agora, não podiam deslocar-se entre regiões e fecharam destinos turísticos como as Ilhas Canárias ou Baleares.

Em troca do privilégio de viajar para este arquipélago antes de mais ninguém, os turistas alemães deste teste piloto terão de seguir um rigoroso protocolo sanitário: controlo de temperatura na chegada e acompanhamento telefónico para verificar se não há sintomas de COVID-19.

"Parece-me que é um plano piloto magnífico para testar", os protocolos que devem ser aplicados nas áreas turísticas quando as fronteiras forem abertas, disse o ministro da Saúde da Espanha, Salvador Illa.

Segundo destino turístico mundial, depois da França, a Espanha, que manterá o uso obrigatório de máscara por meses, espera convencer os visitantes estrangeiros por meio da segurança sanitária.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.