Ao viajar pela Alemanha percebi que a preocupação com o meio ambiente está profundamente enraizada na sociedade germânica, principalmente em Munique.

Os exemplos de preocupação com o clima e com o ambiente são muitos. Os comboios rápidos e confortáveis da Deutsche Bahn que ligam as principais cidades, por exemplo, usam energia eólica, hidráulica e solar e o operador ferroviário nacional da Alemanha afirma ser já o maior consumidor de eletricidade verde do país.

A Flixbus, rede de autocarros de longa distância, oferece conexões rápidas, baratas e ecológicas em muitas rotas.

O sistema de transporte no seu geral conecta diferentes linhas de comboio e autocarros de longa distância a serviços regionais de transporte e as ofertas de bilhetes locais, regionais e nacionais. Já os cartões turísticos, que incluem o uso gratuito dos transportes públicos, tornam as viagens mais amigas do ambiente ​​e minimizam o seu impacto. É o caso do Munich city pass que, para além disso, dá acesso aos principais museus da cidade, a palácios e a atrações diversas como o FC Bayern Experience World.

Mas, mesmo depois de chegarmos ao nosso destino podemos facilmente explorar o local com respeito pelo ambiente porque quase todas as cidades principais oferecem aluguer de bicicletas nas estações de comboio.
O serviço é chamado call a bike. Faz-se o registo pelo telefone, recebe-se um código e pode-se ir buscar a bicicleta na estação de comboio.

Munique
créditos: PxHere

Reparei que andar de bicicleta é como uma segunda natureza para os que vivem em Munique e é muito fácil, com este meio de transporte (ou a pé), visitar alguns dos principais locais turísticos da cidade, como o centro histórico medieval de Munique, Marienplatz, a Catedral de Nossa Senhora (Frauenkirche), com as suas grandes cúpulas de bronze ou o Palácio Real (Münchner Residenz), um dos maiores e mais espetaculares palácios da Europa.

Munique também tem um projeto-piloto de táxis ecológicos. Um autocolante verde com a informação ”Eco Taxi" indica os táxis de baixa emissão, com tecnologia de gás natural ou híbrido.

O uso cuidadoso de recursos foi outra preocupação que reparei ser muito comum entre as opções de hospedagem disponíveis na cidade. Existem muitas acomodações — desde hostels a alojamentos locais e hotéis — sustentáveis.

Os padrões de eficiência energética são altos e as especificações ambientais rigorosas, mesmo na fase de construção. Os hoteleiros também prestam atenção ao uso económico de eletricidade, água, recurso a energias renováveis, recuperação de calor e reciclagem.

Muitos vão até mais longe e usam materiais de construção sustentáveis ou implementam projetos conjuntos com fornecedores locais e regionais para oferecer aos seus hóspedes cozinha sazonal fresca e de alta qualidade. Certificações especiais proporcionam aos hóspedes evidências do profissionalismo e da credibilidade deste compromisso.

Mais de 1.200 parques de campismo em toda a Alemanha estão também à disposição do turista mais eco-consciente para garantir que as suas férias não deixem vestígios desnecessários na natureza.

Pratos regionais simples e caseiros são cada vez mais frequentes nos cardápios de restaurantes e pousadas e mesmo nos restaurantes de luxo, a “sofisticada cozinha rústica” envolve cada vez mais combinações de ingredientes frescos e locais.

Os restaurantes trabalham de mãos dadas com os produtores que, por sua vez, estão mais e mais voltados para o cultivo de variedades autóctones  tradicionais de frutas e legumes e para a criação de raças locais de gado.

Quintas orgânicas trazem de volta métodos de cultivo antigos e ecologicamente corretos.

Isto também se aplica à cerveja que é fabricada na Alemanha há mais de 500 anos. A cerveja alemã é feita unicamente de lúpulo, malte, fermento e água,  ingredientes agora disponíveis em variedades orgânicas.

Até a famosa Oktoberfest é um dos eventos mais ecológicos do mundo! Já em 1997 foi premiado pelos seus esforços na redução dos desperdícios ao mínimo ao não permitir o uso de talheres, copos e pratos descartáveis e por reutilizar nas casas de banho a água com que se lavavam os pratos.

Grande parte da comida servida na Oktoberfest — incluindo a carne — é também de origem biológica e, desde o ano 2000, os postes de iluminação e todas as áreas públicas do festival são alimentadas por energia renovável. Essa atitude de consciencialização ambiental também foi seguida por cerca de 60% dos fornecedores do festival, que passaram a usar fontes de energia renováveis.

Munique
créditos: PxHere

Munique é ainda uma cidade cheia de áreas verdes. O maior parque da cidade é o Jardim Inglês (The Englische Garten), um dos maiores parques urbanos do mundo. Tem 78 quilómetros de trilhos que permitem ao visitante correr, andar de bicicleta ou a cavalo.

Um passeio pelos arredores da cidade é igualmente obrigatório. A natureza exuberante da região da Baviera impressiona e encanta. É uma área rica em florestas, lagos e palácios, dignos de um conto de fadas — como é o caso do palácio Neuschwanstein, que serviu de inspiração a Walt Disney para desenhar o palácio da Bela Adormecida.

Se é um viajante com preocupações ambientais, considere visitar Munique. Aproveite os voos da TAP e marque já as suas férias.

 Texto: Ana Maria Barreto - The Travellight World

Munique desde 54€