O conceito faz lembrar o Portugal dos Pequenitos, em Coimbra. Também no Mini-Europe, se pode ficar a conhecer os principais símbolos arquitectónicos, através de pequenas mas muito detalhadas construções. Numa dimensão europeia, claro!

Apesar de em Bruxelas, Bélgica, o sol estar muitas vezes escondido num céu triste e nublado, ser ao ar livre é sempre uma vantagem para os miúdos correrem livremente.

Todos os modelos do Mini-Europe (mais de 300) estão construídos à escala de 1:25 e podemos circular à sua volta. Em alguns deles até existe alguma interacção: espreitar, puxar alavancas para fazer mover a água ou conseguir "explodir" um vulcão, são alguns exemplos.

Mini-Europe
créditos: Viajar em Família

Estão lá réplicas dos mais conhecidos monumentos de várias cidades europeias. O Big Ben, a Torre Eiffel ou a Torre de Pisa, mas também a recriação dos canais de Veneza ou Amesterdão. De Portugal, os miúdos reconheceram a Torre de Belém, o Oceanário de Lisboa e o Castelo de Guimarães. Fiquei completamente impressionada com o cuidado nos detalhes em pessoas, carros ou barcos representados.

Mas no Mini-Europe, além da exposição exterior, há ainda um espaço interior reservado a jogos multimédia interactivos. E apesar das crianças provavelmente não entenderem a língua em que estão a ser dadas as instruções, pular ou rir é sempre divertido e continua a ser uma linguagem universal (pelo menos, connosco funcionou assim).

Mini-europe
créditos: Viajar em Família

O Mini-Europe fica na parte norte da cidade de Bruxelas, sendo fácil chegar de transportes públicos. Nós fomos de metro e apesar de quando saímos da estação pensarmos que nos tínhamos enganado na saída, pois não vimos qualquer indicação para o parque, depressa percebemos que só precisávamos de andar mais alguns metros para lá chegar.

O Atomium, outra famosa atracção da cidade, é mesmo ali ao lado. Ou melhor, é mesmo por cima deste parque temático, existindo até um bilhete conjunto para as duas visitas.

Dentro do parque há um restaurante mas nós almoçámos num outro, antes mesmo de entrar. A comida não era a mais típica (fast food, para ser mais precisa!) mas o ambiente era engraçado e os miúdos gostaram dos balões oferecidos e da vista para um carrossel que teimava em rodar - mesmo estando completamente vazio - que se encontrava à porta do restaurante.

Mini-Europe
créditos: Viajar em Família

No fim da tarde, ficámos com a sensação de que a visita ao Mini-Europe nos "abriu o apetite" para futuras deslocações reais aos locais retratados. E até aproveitámos a oportunidade para aprofundar conhecimentos de geografia e brincar com isso, em pequenos jogos improvisados entre as crianças e os adultos.

Uma última reflexão pessoal. Normalmente quando se pensa em Bruxelas, pensa-se de imediato numa cidade cinzenta, focada nas grandes decisões europeias e com pouco interesse para os visitantes. Depois de lá ter ido com os miúdos, fiquei realmente surpreendida com tudo o que a cidade tem para oferecer. Considero agora uma opção bastante agradável para passar uns dias em família.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.