A capital desta pequena província na ilha ocidental de Kyushu conquistou os corações da comunidade do rugby pelo espírito que exibiram ao acolher cinco jogos do campeonato.

Adeptos ingleses e galeses deste desporto, em particular, encontraram a sua casa longe de casa em Oita, que recebeu dois jogos do País de Gales e um de Inglaterra. Muitos locais orgulhosamente hastearam bandeiras inglesas e galesas nas suas casas e foram filmados a cantar e comemorar com os adeptos galeses em bares após a famosa vitória nos quartos de final.

Na verdade, é pela hospitalidade que Oita é talvez mais conhecida - ou como os japoneses a chamam, "omotenashi". Esta cultura de serviço decorre em parte das muitas fontes termais ("onsen") que borbulham da terra fértil e vulcânica na região.

A cidade termal de Beppu é famosa em todo o Japão pelas suas qualidades restauradoras e grande quantidade de fontes termais - e pelas nuvens grossas e ondulantes de vapor de água que preguiçosamente giram no ar ao redor da cidade.

As autoridades de Oita, em parceria com a Tourism Oita, decidiram capitalizar a reputação da cidade antes dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio (que foram adiados para 2021). Para tal, abriram um escritório em Londres para promover e representar Oita no Reino Unido e na Europa, voltada para os agentes de viagens, comunicação social e, claro, o grande público.

Conheça alguns dos "highlights" da cidade de Oita:

- Oita é conhecida como a capital termal do Japão há séculos, e as propriedades curativas dos seus "onsen" foram comprovadas já no século VIII. Beppu e Yufuin são as atrações principais, mas há um total de 4.418 fontes termais de água pura em toda a região (dados oficiais de março de 2018).

- História: Como ilha ocidental do Japão, Kyushu tem uma história fora do comum. Foi a primeira parte do Japão a ser visitada por comerciantes europeus, que tiveram sucesso em converter os senhores locais ao cristianismo durante um período de tempo, dando à ilha uma cultura cosmopolita única que dura até hoje.

- O único samurai britânico: esta história inclui os dois primeiros samurais europeus, William Adams e Jan Joosten. Estes homens eram tripulantes de um navio mercante holandês que navegou para a costa e, apesar de serem estranhos numa terra estranha, tornaram-se conselheiros de confiança de Tokugawa Ieyasu, o homem que se tornou no primeiro novo shogun (governante militar) de um Japão unificado durante muitos séculos. Os seus dois conselheiros ocidentais receberam a honra singular de se tornarem samurais - um título raramente concedido a não japoneses ao longo da história.

- Comida, bebida e hospitalidade. Oita oferece frutos do mar frescos e deliciosos em abundância e produtos vindos da montanha, pontos turísticos, santuários e templos históricos e spas em hotéis luxuosos, todos servidos com o inimitável presente japonês de omotenashi (hospitalidade).

Hoje, 420 anos após a chegada de William Adams e Jan Joosten, há mais de 13.000 residentes estrangeiros em Oita e mais de 3.500 estudantes estrangeiros de 93 países e regiões a estudar nas suas universidades, que é uma das principais áreas do Japão para estudantes internacionais.

Oita atraiu cerca de 1,2 milhão de turistas estrangeiros em 2019, que descobriram que eram capazes de relaxar e interagir mais facilmente com os locais do que em destinos mais óbvios e populosos. Tudo isto graças à omotenashi dos residentes e seus valores de longa data de diversidade e inclusão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.