Andar sobre glaciares, observar a vida selvagem, entre pinguins, baleias e alpacas, admirar a grandiosidade de cadeias montanhosas, com destaque para a Cordilheira del Paine, Chile, e Monte Fitz Roy ou El Chaltén, Argentina, aventurar-se pelos parques nacionais de Torres del Paine (Chile), Bernardo O'Higgins (Chile) ou Los Glaciares (Argentina). Estes são os principais cartões de visita da Patagónia, porém é redutor enumerar os pontos mais conhecidos desta região única no mundo, que tem muito para oferecer e para explorar.

 

Quem já lá esteve, diz que é uma experiência inesquecível e, por vezes, indescritível. Nestes casos, as imagens continuam a "falar" muito bem - veja a nossa galeria e fique a conhecer este paraíso frio e ventoso, a "porta de entrada" para o Polo Sul.

Talvez não saiba, mas diz-se que a palavra Patagónia vem de "patagão", nome dado pelo navegador português Fernão de Magalhães em 1520 quando chegou com a sua expedição naquela região. O nome "patagão" foi usado para apelidar os nativos (tehuelches) que foram descritos como gigantes, uma vez que eram mais altos do que os navegadores europeus.

A parte chilena da Patagónia inclui a extremidade meridional de Valdívia, a região de Los Lagos, no lago Llanquihue, Chiloé, Puerto Montt e o sítio arqueológico de Monte Verde, bem como as ilhas a sul das regiões de Aisén e Magallanes, incluindo o lado ocidental da Terra do Fogo e do Cabo Horn. Da parte argentina da Patagónia fazem parte as províncias de Neuquén, Río Negro, Chubut e Santa Cruz, bem como a parte leste da Terra do Fogo.

A partir dos dois países é possível explorar esta região única, havendo muita oferta turística disponível. Este é um destino versátil que pode ser visitado durante todo o ano. Ainda assim, durante o verão (dezembro a fevereiro), os dias são mais longos, havendo mais opções de passeios e sendo possível tirar o maior partido das atividades ao ar livre. É sempre bom saber que o clima é frio (varia entre 10ºC no verão e -20ºC no inverno) e pode ser imprevisível. Os ventos fortes são uma constante.


Já visitou a Patagónia? Deixe as suas sugestões e impressões no espaço de comentários ou envie-nos um e-mail para sapo.viagens@sapo.pt a contar a sua experiência.