Os resultados do mais recente estudo da eDreams revelam que os portugueses se sentiram afetados pela situação atual, mas que o otimismo prevalece: grande parte dos inquiridos (42%) sente alguma preocupação, mas acredita que viajar é seguro se forem tomadas as devidas precauções. Outros 26% dizem não sentir qualquer preocupação, desde que se respeitem as regras de distanciamento e se use máscaras.

Apesar do otimismo generalizado, a maioria dos inquiridos (53%) afirma que antes de reservar uma viagem para o estrangeiro necessita de uma garantia de reembolso em caso de cancelamento motivado pela COVID-19. Cerca de 39% gostaria de contar com informação governamental que permitisse perceber se é seguro viajar para o destino que pretende.

Apesar da pandemia, a grande maioria (70%) dos portugueses foi de férias este ano. No entanto, dentro destes, 56% preferiu fazer férias locais, sem deixar o país. É ainda possível concluir que, devido à pandemia, os destinos escolhidos mudaram em relação ao passado, naturalmente deixando-se para outra ocasião os tipicamente mais concorridos – praticamente metade dos portugueses que foram de férias em 2020 (47%) afirma ter escolhido locais mais remotos, na tentativa de evitar a concentração de multidões.

Por outro lado, tendo em conta os portugueses que decidiram viajar para o estrangeiro este ano, grande parte (44%) diz ter-se sentido mais seguro em espaços exteriores, como praia ou montanha.

Tal como os portugueses, também grande parte dos viajantes globais (42%) considera que se sente um pouco preocupado, mas acredita que desde que se tomem precauções é seguro viajar. A maioria dos viajantes (59%) também exigiria uma garantia de reembolso ante de marcar uma viagem.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.