A Ryanair, em três milhões de euros, e a Wizz Air, em um milhão, foram multadas, esta quinta-feira, pela autoridade da concorrência italiana devido ao valor cobrado aos passageiros como suplemento à bagagem de mão.

Desde o passado dia 01 de novembro que as duas companhias autorizam apenas um volume pequeno como bagagem de mão, para ser colocado sob o assento à frente, exigindo assim uma taxa para malas ‘regulares’ de cabine.

A autoridade italiana afirmou que esta prática comercial está errada.

“Na medida em que engana o consumidor no preço efetivo do bilhete, ao não incluir na tarifa base um elemento essencial do transporte aéreo que é uma bagagem de mão de maior volume. A investigação mostrou que está nos hábitos de consumo de quase todos os passageiros viajar com uma bagagem de mão maior", referiu a autoridade em comunicado.

Ao exigir um suplemento entre cinco e 25 euros pela bagagem de mão, "as duas empresas procederam a aumento do preço do bilhete de forma não transparente", considera o regulador, exigindo às duas companhias de 'baixo-custo' uma resposta no prazo de 60 dias às medidas adotadas para cumprir a decisão.

A autoridade da concorrência abriu um inquérito na sequência de reclamações de associações de consumidores, depois das companhias terem anunciado estas decisões. Já no dia 31 de outubro, a autoridade da concorrência tinha pedido uma suspensão das medidas, mas sem resultados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.