A 27 de dezembro de 2021, Travis Shields, um conhecido TikToker norte-americano, embarcou para o seu primeiro cruzeiro - uma semana pelos mares das Caraíbas - para começar, de uma forma idílica, o novo ano. Segundo as regras para os passageiros, todos teriam de apresentar certificado de vacinação contra o coronavírus e fazer um teste já a bordo, dois dias após a partida.

Depois de um começo de diversão, Travis Shields desconfiou de alguns sintomas e um teste confirmou o pior cenário: positivo para a COVID-19. O próximo passo seria isolar-se num piso dedicado apenas para quem precisasse de fazer quarentena e passar a ver o mar da janela do quarto. Acabou por fazer um “diário de bordo” de toda a experiência e chegou a atingir 1,7 milhões de visualizações no TikTok. Ao site Insider, descreveu os dias de isolamento, incluindo na véspera da passagem de ano como "uma porcaria total”, confessou.

Shields disse que os próximos três dias em quarentena no cruzeiro pareceram “uma eternidade”. Podia pedir serviço de quarto a partir dos restaurantes do navio, mas demoravam mais de duas horas a chegar. A ligação da internet era muito fraca, por isso, acabou por escolher ler ou ver televisão. Enquanto isso, o resto da família aproveitava as férias em pleno. "Foi preciso muita paciência para não ficar frustrado", disse. "Podia ver Cozumel pela janela, mas não podia ir a Cozumel. Podia ver as Bahamas, não podia ir às Bahamas".

Travis Shields
créditos: Travis Shields

Do navio para o hotel

Quando o cruzeiro terminou, Shields estava ansioso para sair daquilo a que chamou a sua "prisão covid". Contudo, a sua experiência com o vírus não terminou ali.

Foi informado pela empresa do cruzeiro que, após o desembarque do navio no final da viagem, em Fort Lauderdale, Flórida, seria transportado para um hotel para terminar a sua quarentena gratuitamente, como parte da política de saúde e segurança. A política declara que "se o teste for positivo para COVID-19 durante o cruzeiro, a empresa cobre o custo do tratamento médico a bordo, qualquer quarentena terrestre necessária e qualquer viagem de regresso a casa”.

Quando ele saiu do navio em Fort Lauderdale, a namorada e família estavam à sua espera. "Foi bastante emotivo", disse ele. "Eram apenas três dias, mas parecia uma eternidade". Havia também um carro à espera para um hotel onde podia terminar o isolamento. O hotel foi uma desilusão, por isso, o TikToker, a namorada e a sogra alugaram um Airbnb. Shields disse à Insider que a empresa do cruzeiro “simplesmente desapareceu” e não o ajudou a marcar os voos de regresso a casa, em Portland, Oregon.

Durante todo o processo, Shields ficou chocado com a falta de comunicação e que ninguém chegou a verificar como tinha ficado a sua situação. "Não havia qualquer estrutura" de apoio.

A pensar no próximo

"Provavelmente ainda vou fazer um cruzeiro de novo", afirmou Shields, mas, da próxima vez, vai esperar por um período sem surtos de casos de COVID-19. Por agora, não aconselha ninguém a aventurar-se. "Eu ficaria em casa até que a esta variante Ómicron desapareça”. 

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.