O setor do turismo da Nova Zelândia pode receber um impulso se o plano sugerido para dar aos trabalhadores uma semana de quatro dias de trabalho e três dias de folga, além de maior flexibilidade no local de trabalho, receber sinal verde. A ideia foi revelada num vídeo no Facebook Live pela primeira-ministra do país, Jacinda Ardern, como uma forma de ajudar a indústria a recuperar-se após a pandemia da Covid-19.

Jacinda Ardern afirmou que o governo está a ponderar sobre ideias para incentivar os neozelandeses a viajarem internamente, enquanto as restrições nas fronteiras internacionais continuam em vigor. Revelou também que 60% da indústria do turismo do país é apoiada por viagens domésticas e por isso outra ideia que está a ser considerada é proporcionar às pessoas mais tempo de férias.

"Tenho ouvido muitas pessoas a sugerir que deveríamos ter uma semana de quatro dias de trabalho. Em última análise, isso é algo entre empregadores e funcionários. Mas, como já disse, temos aprendido muito com a Covid-19 e temos visto uma produtividade e flexibilidade das pessoas que trabalham em casa que é prometedora", afirmou a primeira-ministra neozelandesa, através de um vídeo no Facebook.

A primeira-ministra incentivou "os empregadores a pensarem nisso, se estiverem numa posição em que seja possível fazê-lo, porque, certamente, iria ajudar o turismo em todo o país".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.