De acordo com as novas regras, os viajantes devem apresentar um teste PCR negativo válido, obtido até 72 horas antes da partida, e os passageiros com mais de cinco anos de idade devem submeter-se a outro teste PCR obrigatório na chegada à Jordânia. Este teste é pago pelos  passageiros e custa JD28 (€33), e a taxa é cobrada pela companhia aérea no check-in no ponto de partida dos passageiros. Os viajantes também devem preencher um formulário de declaração de saúde e entregá-lo no balcão de check-in do aeroporto de partida.

Localizada ao lado de Israel no Médio Oriente, a Jordânia possui uma grande variedade de atrações culturais e de aventura, incluindo acesso ao Mar Morto, os extensos desertos perto de Wadi Rum e a antiga cidade de Petra que é a joia da coroa da Jordânia e um dos locais do Património Mundial da UNESCO mais valorizados do mundo. As máscaras são obrigatórias no local e os visitantes devem seguir as diretrizes de distanciamento social.

A Jordânia fechou suas fronteiras e aeroportos internacionais em março de 2020, quando a pandemia COVID-19 começou e só reabriu as suas fronteiras para visitantes de países selecionados a 5 de agosto. O turismo é muito importante para o país, pois representa quase 15% do PIB da Jordânia, empregando cerca de 100.000 pessoas. Em 2019, a Jordânia recebeu 5,3 milhões de visitantes, um número recorde.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.