Durante o tempo em que a ilha estiver fechada aos turistas, os conservacionistas vão trabalhar na preservação da espécie, melhorar as condições de conservação, aumentar o stock alimentar dos dragões e reforçar a preservação da ilha. As autoridades esperam que o encerramento da ilha ajude a aumentar a população de dragões de Komodo.

O encerramento da ilha foi anunciado depois do Ministério do Meio Ambiente e Florestas da Indonésia ter revelado que prendeu uma rede de contrabando com 41 dragões de Komodo. As autoridades conseguiram evitar a venda dos animais que seria feita por 500 milhões de rupias indonésias (cerca de 31 mil euros) por cada réptil.

Dragões de Komodo são uma espécie protegida e considerado o maior lagarto vivo do mundo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.