"Estamos a preparar, numa organização conjunta com a transportadora Avic e a Fundação Santoinho, um programa de promoção turística que será dinamizado no Brasil pela Casa do Minho do Rio de Janeiro. Esse programa irá promover Viana do Castelo, Braga, Guimarães, Porto e os Caminhos portugueses até Santiago de Compostela, na Galiza", explicou à agência Lusa, o presidente da Câmara da capital do Alto Minho, José Maria Costa.

O autarca socialista, que falava a propósito do acordo de geminação que assinou no dia 16 com a Prefeitura do Rio de Janeiro, adiantou que o programa turístico que vai ser preparado "incluirá um roteiro de visitas àquelas cidades e uma passagem pelo Santoinho".

Com quase meio século de existência o Santoinho, em Darque, Viana do Castelo, é considerado o maior e o mais típico arraial minhoto do país. Além da sardinha assada, os visitantes são brindados com o folclore, música popular, marchas entre outros números de animação minhota.

O autarca socialista adiantou também que, "este ano, Viana do Castelo irá acolher um concerto pela orquestra Maré do Amanhã", fundada por Carlos Eduardo Prazeres que utiliza a música como instrumento de transformação social e cultural de crianças, adolescentes ou jovens brasileiros.

"A orquestra Maré do Amanhã faz a difusão da cultura e da educação às classes mais desfavorecidas do Rio de Janeiro. Esta orquestra faz a sociabilização e formação de jovens através do ensino da música, no Rio de Janeiro, numa experiência já reconhecida em todo o Brasil e no estrangeiro", sustentou José Maria Costa.

Outras das componentes da geminação agora celebrada entre Viana do Castelo e o Rio de Janeiro prende-se com a "cooperação entre os museus" das duas cidades.

"Estamos em contacto com o museu imperial de Petrópolis para organizar eventos conjuntos para evocação e melhor conhecimento da rainha D. Maria II que teve, também, grande importância no Brasil", sustentou.

Na deslocação ao Brasil, além da geminação, José Maria Costa participou nas celebrações dos 90 anos da Casa do Minho no Rio.

"Há um relacionamento de vários anos com a Casa do Minho que já foi distinguida com o título de Instituição de Mérito de Viana do Castelo", referiu.

Durante a cerimónia, o autarca apresentou o livro "Viana do Castelo - O Amor da minha vida".

Lançada em Viana do Castelo a 10 de junho 2017, a obra de Roberto Wider, antigo desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, descreve as suas impressões sobre Viana, as paisagens, o património e as tradições. As fotografias que ilustram a obra são de Victor Roriz.

Naquela deslocação ao Brasil, a Fundação Santoinho foi homenageada pela Câmara do Rio de Janeiro, pela Casa do Minho, pela Câmara de Petrópolis e museu imperial de Petrópolis.

A Fundação Santoinho foi criada, por vontade do empresário de Viana do Castelo António Cunha, com o objetivo de "preservar o património cultural e tradicional da região do Minho".

A fundação tem no seu espólio mais de quatro mil peças do património cultural e artístico recolhido há mais de 50 anos, como "uma coleção de trajes regionais minhotos do século XIX, espigueiros, alfaias e viaturas de transporte coletivo e turismo de início do século XX".

Fonte: Lusa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.