De acordo com a companhia, as mudanças mundiais estão a indiciar novos comportamentos do consumidor para os próximos anos, assim, a Easyjet opta por continuar a investir no mercado de lazer para garantir, e manter, a sua posição de liderança.

A título de exemplo, a Easyjet refere a abertura de novas bases em Faro e Málaga que vieram reforçar o posicionamento da companhia como a opção europeia certa para chegar a estes destinos e permite corresponder ao pico de procura com capacidade sazonal.

A companhia acredita que, com o tempo, este movimento também lhe proporcionará um crescimento a longo prazo para estes destinos.

“Estou muito orgulhoso do desempenho da equipa easyJet pela maneira como enfrentou os desafios de 2020. Respondemos de forma robusta e decisiva, minimizando as perdas, reduzindo as despesas de tesouraria e com o maior programa de redução de custos e reestruturação da nossa história - tudo isto enquanto acedemos a mais de £ 3,1 mil milhões, para fazer face aos custos de operação.", comenta Johan Lundgren, CEO da companhia.

 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.