A Skytrax, uma empresa que avalia companhias aéreas e aeroportos, fez um extenso estudo sobre o custo de testes PCR em 77 aeroportos em todo o mundo e os resultados são surpreendentes.

A empresa menciona que alguns países têm uma taxa padrão fixa para o teste, alguns subsidiam e outros também tributam os testes, como por exemplo o governo do Reino Unido que impõe uma pesada taxa de 20% em todos os testes.

O aeroporto mais caro do mundo para um teste PCR é o Kansai International, no Japão, que cobra 404 dólares americanos, o que equivale aproximadamente a 329 euros. Por 279 dólares (227 euros), São Francisco é o aeroporto mais caro dos EUA, outros aeroportos americanos, como o JFK de Nova Iorque, cobra 179 dólares (146 euros) e o mais barato é Fort Lauderdale, com 106 dólares (86 euros).

A Europa tem uma diferença ainda mais contrastante, com o aeroporto de Helsínquia a cobrar 258 euros e o aeroporto de Riga, na Letónia, faz o mesmo teste por 35 euros.

O aeroporto de Mumbai, na Índia, cobra uns meros 6 euros pelo teste PCR, tornando a Ásia o lar dos aeroportos mais caros e baratos do planeta para um teste de PCR.

Veja o custo de um teste PCR em outros aeroportos internacionais, de acordo com a Skytrax:

- Estocolmo 240 euros

- Tokyo Narita 224 euros

- Nagoya Centrair 209 euros

- Copenhaga 137 euros

- Zurique 132 euros

- Amesterdão 125 euros

- Munique 124 euros

- Chicago O'Hare 145

- Luxemburgo 1118 euros

- Oslo 115 euros

- Varsóvia 111 euros

- Viena 96 euros

- Heathrow Londres 89 euros

- Frankfurt 82 euros

- Bruxelas 65 euros

- Madrid 56 euros

No aeroporto de Lisboa, e de acordo com o site da ANA, o valor dos testes realizados, excecionalmente, à chegada, é de 100€.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.