"Estamos a fechar as escolas de Ensino Fundamental a partir de amanhã (sábado) até que a situação da poluição melhore", disse o ministro de Deli, Arvind Kejriwal, aos jornalistas.

De acordo com a empresa suíça de monitorização da qualidade do ar IQAir, o nível de partículas de PM2,5, as mais perigosas, era 25 vezes superior ao máximo estabelecido pela Organização Mundial da Saúde nesta sexta-feira.

A cada inverno, com o ar mais frio, as emissões estagnam e persistem na megalópole de 20 milhões de habitantes, geralmente classificada entre as mais poluídas do mundo.

Nesta sexta-feira Deli estava no topo da lista da IQAir das grandes cidades com o ar mais poluído.

As autoridades anunciam regularmente planos para reduzir a poluição, mas com pouco efeito.

As queimadas agrícolas, responsáveis por um terço da poluição em Deli na quinta-feira, de acordo com a agência indiana de monitorização da qualidade do ar, estão proibidas em Punjab e em outros estados, embora os agricultores ignorem a proibição.

Essa situação assumiu um tom político, já que a capital e o Punjab são governados pelo partido Aam Aadmi (AAP), rival do partido nacionalista hindu Bharatiya Janata, do primeiro-ministro Narendra Modi, que trocam críticas sobre o problema.

O mundo inteiro no seu email!

Subscreva a newsletter do SAPO Viagens.

Viaje sem sair do lugar.

Ative as notificações do SAPO Viagens.

Todas as viagens, sem falhar uma estação.

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOviagens nas suas publicações.