Os moradores da cidade fronteiriça alemã de Lauterbach gostam de ir à cidade vizinha de Carling, em França, para comprar os croissants e baguetes. Quando a fronteira se fechou para diminuir a propagação do coronavírus, muitos ficaram desiludidos por deixarem de ter acesso aos seus alimentos favoritos.

No entanto, a padeira Myriam Jansem-Boualit parece ter resolvido o problema ao ir até à zona de fronteira, para garantir que os seus clientes alemães ainda possam comer as baguetes diariamente. Os clientes podem telefonar com antecedência e fazer os seus pedidos e Myriam leva as iguarias até à fronteira, na rua em frente à sua loja.

De forma a manter a distância, um dos clientes, Hartmut Fey, decidiu usar uma cana de pesca para "pescar" as baguetes do outro lado da fronteira.

Como é possível ver no vídeo, a engenharia alemã de Hartmut não é infalível - já que duas baguetes acabam por cair no processo - mas o seu compromisso em manter a tradição é admirável. O equipamento de pesca não é obrigatório, mas com um fluxo constante de clientes na barreira, muitos aderiram a esta opção.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.