O grupo publicou um comunicado no qual se declara "muito triste pela morte trágica de dois clientes que se hospedaram no Steigenberger Aqua Magic Hotel, em Hurghada", uma estação balneária na costa do Mar Vermelho.

Segundo a imprensa britânica, os mortos, John e Susan Cooper, eram um casal sexagenário procedente de Burnley, norte da Inglaterra, e estavam de férias na companhia de sua filha e netos.

As circunstâncias das mortes ainda não foram estabelecidas, segundo a fonte. Por precaução, foi decida a transferência dos turistas do citado hotel ou, se os clientes desejarem, será providenciada a volta para casa.

A Thomas Cook afirma que verificou as instalações do Steigenberger Aqua Magic Hotel em julho de 2018 e que o hotel recebeu uma aprovação de 96%.

A gerência do hotel e as autoridades egípcias não responderam aos contatos da AFP.

Mas o governador regional do Mar Vermelho, Ahmad Abdulah, descartou qualquer motivo criminal envolvendo as mortes de John Cooper, 69 anos, e sua esposa, Susan, 63, que era funcionária da agência.

"O marido foi levado para um hospital por estar se sentindo cansado e morreu lá. Quando sua esposa recebeu a notícia, sofreu uma crise nervos e também morreu", declarou.

A filha, do casal, Kelly Ormerod, no entanto, rebateu essas informações, afirmando que seus pais se encontravam com boa saúde. E ainda negou a versão do governador.

"Não há uma explicação clara. Meu pai não foi para um hospital, morreu no quarto de hotel, na minha frente. Fui ao hospital com minha mãe, e ela morreu lá", afirmou.

Fonte: AFP

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.