Investigadores da Universidade de Indiana uniram-se ao governo da República Dominicana para criar um "Living Museum of the Sea" nas águas do Parque Nacional Submarino La Caleta uma área protegida ao longo da costa sul da nação insular.

Este projeto em particular - o quinto do tipo - ajuda a proteger um navio espanhol que afundou na área durante uma tempestade em 1725. Enquanto os arqueólogos marinhos levaram alguns artefactos para a superfície, que agora estão alojados no Museo de las Atarazanas Reales, o navio - chamado Nuestra Señora de Begoña - bem como uma variedade de objetos, foram deixados no fundo do mar como parte de uma exposição subaquática in situ. Este trabalho faz parte de 25 anos de pesquisa e escavações  na República Dominicana, com o objetivo de descobrir quaisquer embarcações associadas à segunda viagem de Cristóvão Colombo às Américas.

Segundo Tori Galloway, investigadora associada do Center for Underwater Science, da Universidade de Indiana, os museus subaquáticos são uma solução criativa para um problema exclusivo da República Dominicana, onde a caça ao tesouro de naufrágios ainda é legal, desde que metade do que é recuperado seja devolvida ao Estado.

O museu está apenas ao acessível através de mergulho. Os visitantes que não mergulhem podem ver os artefactos em exposição no Museo de las Atarazanas Reales, o museu marítimo nacional da República Dominicana, na Cidade Colonial de Santo Domingo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Viagens. Semanalmente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.